Publicado em 14/05/2013 as 12:00am

Rússia declara suposto espião da CIA 'persona non grata'

Prisão de Ryan C. Fogle foi feita pela ex-KGB. Para chancelaria russa, foi 'provocação' digna dos tempos da guerra fria.

A Rússia declarou nesta terça-feira (14) persona non grata o suposto agente da CIA desmascarado em Moscou, chamando sua tentativa de enganar uma autoridade dos serviços especiais russos de "provocação" digna da "guerra fria".

"A Rússia declara Ryan C. Fogle persona non grata", anunciou o Ministério russo das Relações Exteriores em um comunicado, acrescentando que "atos provocadores como esse no espírito da guerra fria não contribuem para reforçar a confiança mútua".

A prisão do suposto espião foi feita pelo Serviço de Segurança Federal da Rússia (FSB, ex-KGB).

O agente, segundo as autoridades russas, trabalhava incógnito em seu posto de terceiro secretário da embaixada. Ele carregava quando foi detido na segunda-feira "material técnico e instruções escritas para recrutar um cidadão russo", segundo as agências.

Também transportava "uma grande soma de dinheiro e material para mudar a aparência de uma pessoa".

Segundo o FSB, "os serviços de inteligência dos Estados Unidos tentaram em várias ocasiões recrutar integrantes das forças de segurança e dos serviços especiais russos".

As autoridades russas convocaram o embaixador americano no país, Michael McFaul, para prestar esclarecimentos sobre o caso.

O incidente ocorre no âmbito de tensões entre os dois países pela guerra civil na Síria e pelas denúncias dos Estados Unidos, que condenam a repressão das vozes dissidentes do governo do presidente Vladimir Putin.

O anúncio também ocorre dias depois de uma visita do secretário norte-americano de Estado, John Kerry, à Rússia, ocasião em que os dois governos anunciaram a intenção de realizar uma conferência de paz com a Síria.

Fonte: www.globo.com

Top News