Publicado em 26/05/2013 as 12:00am

Americana roda mundo construindo pontes em comunidades carentes

Organização já concluiu 110 projetos de pontes para pedestres. Engenheira aderiu ao grupo após estudar em Fiji e ver impacto das obras.


Ter uma ponte para atravessar um rio a pé é item de primeira necessidade para milhares de comunidades ao redor do mundo. Em locais onde andar é parte essencial da vida, não ter essa simples obra de engenharia deixa a população isolada durante alguns meses do ano – nas épocas de cheia, atravessar muitos rios pode ser fatal, limitando o acesso a escolas, médicos, mercados, além do contato com o mundo. Para tentar sanar essa necessidade, a engenheira americana Avery Bang viaja o mundo construindo pontes para pedestres com a organização Bridges to Prosperity (Pontes para a Prosperidade).

Avery começou a trabalhar com a B2P, como é conhecida a organização, em 2006, após voltar de um intercâmbio em Fiji. Na época, ela era estudante de engenharia na Universidade de Iowa e quis estudar fora em um país que fosse diferente dos EUA.

“Eu queria muito ir para algum lugar onde a qualidade de vida e as coisas que as pessoas valorizassem fossem diferentes dos valores das pessoas dos países ocidentais desenvolvidos”, conta. “Eu venho de um local muito privilegiado, uma família normal americana, e em Fiji as pessoas que são mais pobres vivem da mesma maneira como há 500 anos. É um tipo de existência completamente diferente. Mesmo assim, senti que, apesar de todos os privilégios que temos nos EUA, as pessoas em Fiji eram talvez mais felizes.”

No país, ela visitou uma pequena vila na qual uma ponte para pedestres havia acabado de ser construída, mudando a realidade da população. “De repente, eles tiveram acesso durante o ano todo às escolas, aos serviços de saúde, aos mercados. Quando voltei para os EUA, falei: ‘quero construir pontes’.”

Fonte: www.globo.com

Top News