Publicado em 5/06/2013 as 12:00am

Governo turco tenta, sem sucesso, aplacar ira popular com desculpas

Governo turco tenta, sem sucesso, aplacar ira popular com desculpas

O governo turco tentou acalmar a ira popular dos últimos dias ao oferecer uma desculpa pelos excessos policiais cometidos no início dos protestos antigovernamentais, que já duram cinco dias e deixaram dois mortos e mais de 2.000 feridos.

"Peço desculpas àqueles (manifestantes) com sensibilidade ambiental pela violência policial usada no começo. Mas não temos desculpas para os violentos das ruas", declarou o vice-primeiro-ministro, Bülent Arinç, em entrevista coletiva em Ancara.

Arinç se referiu à remoção violenta, na madrugada da última sexta-feira, das pessoas que protestavam contra uma remodelação urbanística que prevê a construção de um shopping center em um dos poucos parques de Istambul. A ação da polícia desencadeou os maiores protestos na Turquia em uma década.

"A exagerada violência da polícia no começo dos incidentes no parque provocou uma reação", declarou Arinç, mas acrescentou que nada justifica a agressão às forças de segurança.

Suas palavras contrastam com as do primeiro-ministro, Recep Tayyip Erdogan, que classificou os manifestantes de "extremistas" e inclusive insinuou que serviços secretos estrangeiros podiam estar por trás dos protestos.

Mesmo assim, Arinç coincidiu com o chefe de governo nas críticas à imprensa estrangeira, por mostrarem uma imagem distorcida dos acontecimentos no país, e às redes sociais por sua ajuda na organização dos protestos.

"Os países estrangeiros fazem isso para debilitar o poder da Turquia e seu sucesso econômico", disse o vice-primeiro-ministro.

Fonte: www.uol.com