Publicado em 25/08/2013 as 12:00am

Ataque que deixou 14 militares mortos foi ação conjunta das Farc e ELN

Ataque que deixou 14 militares mortos foi ação conjunta das Farc e ELN

Bogotá, 25 ago (EFE).- O ataque que causou a morte de 14 militares colombianos no departamento de Arauca, na fronteira com a Venezuela, foi perpetrado pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) com apoio do Exército de Libertação Nacional (ELN), segundo
principal grupo guerrilheiro do país, afirmou neste domingo o comandante do exército, general Juan Pablo Rodríguez Barragán.

O militar afirmou em comunicado que no ataque cometido no sábado na cidade de Tame foram utilizados artefatos explosivos, granadas e armas de fogo. Na ação, 14 militares foram mortos.

O general acrescentou que ontem, durante uma inspeção no local do atentado, foi encontrado o corpo de outro militar, o que elevou para 14 o número de mortos. Além disso, dois militares ficam feridos.

Segundo o general Rodríguez, os soldados estavam realizando operações de controle em uma área próxima a Tame quando foram atacados.

Rodríguez explicou ainda que dois guerrilheiros morreram na ação. Arauca é um departamento com forte presença de várias frentes das Farc e da ELN.

Em 20 de julho, as Farc atacaram um pelotão do exército que protegia um oleoduto entre as cidades de Fortul e Tame, ação que terminou com 15 militares mortos.

As Farc e a ELN disseram publicamente que várias de suas frentes uniram forças contra projetos de mineração e hidrelétricas.

Fonte: www.uol.com