Publicado em 5/03/2014 as 12:00am

Babá brasileira é assaltada à mão armada em NJ

Babá brasileira é assaltada à mão armada no Ironbound

A onda de violência que assola o bairro do Ironbound fez mais uma vítima, na noite de quinta-feira (27), a babá Tatiane Carvalho, natural de Indaiatuba (SP), foi assaltada à mão armada em frente ao restaurante Primabel, na Hensler ST, em Newark (NJ). Segundo ela, que reside na Elm Street, o incidente ocorreu às 8:20 horas, com a rua ainda movimentada O ladrão levou sua bolsa, um par de tênis que trazia dentro de uma sacola, o celular e uma sopa, que ela havia comprado para jantar. Chocada, ela divulgou o incidente no Facebook.

“Primeiramente bom dia a todos! Fui assaltada à mão armada ontem às 8 da noite em frente ao Primabel, perto do Seabras da Wilson! O cara levou tudo que eu tinha! Bolsa celular! Tudo! Foi a coisa mais horrível que eu já passei em toda minha vida! Eu realmente pensei que eu ia levar um tiro quando o individuo colocou a arma contra a minha barriga!”, postou .

Conforme a vítima, no momento do assalto, ela achou que fosse morrer e pensou principalmente nos entes queridos. “Passou um filme na minha cabeça! Minha família, meus amigos e todos os sonhos que eu ainda tenho para realizar! Ontem, eu percebi como somos frágeis, hoje, aqui, amanhã, não se sabe! Morrer sem poder dizer tchau para quem a gente ama ou se importa!”, desabafou.

Após passar em uma farmácia, Tatiane comprou sopa em um restaurante para seu jantar, pois havia se submetido a um procedimento odontológico em que levou dois pontos e estava impossibilitada de mastigar. Ela vinha caminhando pela Hensler Street, quando viu um sedan branco parar em fila dupla. Ela mal teve tempo de raciocinar. Um homem de aproximadamente 27 anos, negro, estatura mediana, já desceu apontando-lhe o revólver. A paulista chegou a pensar em correr, mas “congelou”, segundo suas próprias palavras.

“Ele já saiu apontando a arma, parou em ‘double’ e veio para o meu lado.  Eu vi q ia ser assaltada e pensei em correr, mas eu vi a arma e congelei. Ele me pegou na frente do estacionamento do restaurante e não tinha jeito de escapar dali, pois estava tudo fechado. Foi muito rápido. Ele não me empurrou ou nada do tipo. Pegou minhas coisas e foi embora. Ele foi tão cara de pau que quando pegou minhas chaves e viu que não tinha chave de carro, devolveu para mim, colocando na minha mão e saiu”, contou Tatiane.

Após o assalto Tatiane entrou no restaurante e foi socorrida pelos clientes, entre eles um policial do Condado, que ligou para a polícia de Newark. Cinco minutos depois chegou uma viatura, que a levou até a delegacia da Green Street, onde denunciou o incidente e preencheu o boletim de ocorrências. “Eu ainda choro e tremo todas as vezes que penso no ocorrido! Fiquei horas na policia sozinha fazendo o ‘report’, não sabia o número de ninguém e tudo que eu fazia era chorar!”, relatou a brasileira no Facebook.

Indignada, Tatiane detalhou a audácia do assaltante. “Galera, eles não escolhem mais o local e nem a hora, simplesmente assaltam e vão embora! A rua não estava deserta! Eu fui mais uma vítima dessa violência ridícula que está Newark! Eu estava no lugar errado, na hora errada!”, postou.

Tatiane está indo para o Brasil dentro de dezoito dias  terá que consolar seus pais, que ficaram muito preocupados. “Minha mãe queria entrar em um avião e tive que tranquiliza-la”, contou à nossa reportagem.

Assustada com a violência na cidade, ela pensa em se mudar de Newark quando retornar do Brasil.  “Eu estou magoada. Não sai da minha cabeça. Mas vai passar. Por agora não ando mais a pé”, desabafou.

Fonte: (Brazilian Voice)