Publicado em 6/04/2014 as 12:00am

Bomba mata três pessoas no Afeganistão

Bomba mata três pessoas e destrói cédulas com votos no Afeganistão


Uma bomba na beira da estrada matou dois afegãos que trabalhavam nas eleições e um policial neste domingo (6), além de destruir dúzias de cédulas de votos, afirmaram a polícia e um oficial eleitoral, um dia após um pleito que terminou sem grande violência apesar de ameaças do Talibã.

Aproximadamente 60% dos eleitores registrados do Afeganistão assinalaram seus votos ao redor do país em uma eleição presidencial comemorada como um sucesso pelos representantes do país e do Ocidente.

Apesar de o Talibã não ter conseguido organizar nenhum grande ataque no dia da eleição, há o temor de que insurgentes tentem atrapalhar a contagem dos votos, processo que deve levar semanas em um país com infraestrutura básica e um terreno acidentado.

No primeiro desses ataques desde o fechamento das urnas no sábado à noite, uma bomba acertou um carro que carregava funcionários da eleição e cédulas no distrito de Khanabad, ao norte da província de Kunduz, disse a polícia.

"O carro carregando cédulas de quatro zonas eleitorais foi atingido e todo o material foi queimado", disse à Reuters Amza Ahmadzai, que trabalhou nas eleições em Kunduz, acrescentando que dois de seus colegas e um policial foram mortos.

O Talibã condenou a eleição -planejada para ser a primeira transferência democrática de poder no Afegenistão- por considerá-la uma farsa apoiada pelos Estados Unidos. Atualmente no poder, Hamid Karzai é impedido pela constituição de se candidatar novamente, após 12 anos no cargo.

Não há um claro favorito, mas os três principais candidatos são os ex-ministros do Exterior, Abdullah Abdullah e Zalmay Rassoul, e o ex-ministro de Finanças, Ashraf Ghani.

A eleição está sendo realizada em um momento crucial, enquanto a maioria das tropas prepara-se para voltar para casa depois de lutar contra a insurgência do Talibã por mais de uma década.

Fonte: (g1)