Publicado em 17/02/2015 as 12:00am

Novo terremoto de magnitude 5,7 atinge o nordeste do Japão

O terremoto alcançou uma intensidade superior a 5 na escala japonesa, que tem sete níveis e se concentra mais nas áreas atingidas que na intensidade do tremor, em várias províncias do norte.

Tóquio, 17 fev (EFE).- Um novo terremoto, de magnitude de 5,7 na escala Richter, foi registrado nesta terça-feira no nordeste do Japão, na mesma região que horas antes sofreu um abalo de magnitude 6,9. A Agência Meteorológica do Japão indicou que o mais recente terremoto aconteceu às 13h46 locais (2h46 de Brasília) e com epicentro muito próximo do litoral da província de Iwate. Já o hipocentro foi localizado a cerca de 50 quilômetros de profundidade.

O terremoto alcançou uma intensidade superior a 5 na escala japonesa, que tem sete níveis e se concentra mais nas áreas atingidas que na intensidade do tremor, em várias províncias do norte. Ao contrário do terremoto registrado no começo da manhã nessa mesma região, as autoridades não ativaram o alerta de tsunami. Apenas os portos de Kuji e Miyako registraram ondulações de 20 e 10 centímetros, respectivamente, enquanto o da cidade de Kamaishi registrou uma ondulação ainda mais leve. As autoridades japonesas também não informaram qualquer dano. O terremoto também não causou danos de consideração na infraestrutura do país e em nenhuma das usinas nucleares da região.

O Japão está localizado sobre o chamado 'Círculo de Fogo do Pacífico', uma das zonas sísmicas mais ativas do mundo, e sofre terremotos com relativa frequência, por isso a infraestrutura do país foi especialmente desenvolvida para suportar os tremores. Mesmo assim, no dia 11 de março de 2011, um terremoto de magnitude 9 na escala Richter gerou um tsunami devastador que deixou mais de 18 mil mortos e desaparecidos, além de ter provocado na usina nuclear de Fukushima o pior acidente nuclear desde Chernobyl, na antiga União Soviética, em 1986.

Moradores são evacuados para o ginásio de uma escola primária após alerta de tsunami emitido para cidades costeiras na província de Iwate, no nordeste do Japão, nesta terça-feira (17)

Fonte: uol.com.br