Publicado em 24/08/2015 as 12:00am

Bolt: 'Meu objetivo é ser número 1 até me aposentar'

O jamaicano nunca cruzou a linha de chegada na prova mais nobre de seu esporte atrás de um rival em toda a sua carreira em Mundiais

Usain Bolt cruzou a linha de chegada dos 100m do Mundial de Atletismo em primeiro lugar. Nenhuma novidade nisso. O jamaicano nunca cruzou a linha de chegada na prova mais nobre de seu esporte atrás de um rival em toda a sua carreira em Mundiais. E, se depender dele, nunca vai fazer.

"Meu objetivo é ser o número 1 até me aposentar. Por isso, estou sempre exigindo mais de mim mesmo. A questão é ir para a pista e fazer o que tem de ser feito", disse o corredor após vencer neste domingo. "Acho que minha corrida hoje mostrou que estou enferrujado. Eu poderia ter sido mais rápido. Mas o título significa muito para mim. Foi uma temporada muito longa, principalmente porque tive de voltar de lesão", completa.

A alegria de Bolt tem motivo. Ou melhor: motivos. Primeiro, é bom lembrar que o jamaicano não corria tão rápido há algum tempo. Seu tempo na final no Ninho de Pássaro, em Pequim, foi 9s79. A última vez que ele tinha superado essa marca tinha sido em 2013. Desde então, lesões atrás de lesões tinham deixado o homem mais rápido da história mais lento. Nos últimos meses, ele lidou com uma lesão no quadril que o tirou de alguns eventos da Liga de Diamante, o mais importante circuito de atletismo do mundo.

Além disso, o ouro na China foi o mais difícil que ele já conquistou. Crédito para Justin Gatlin. O norte-americano, que cumpriu duas punições por doping, chegou ao Mundial com quatro dos cinco melhores tempos do ano. Deixa o Ninho do Pássaro com cinco: ele marcou 9s77 nas semifinais, para acompanhar os 9s74, dois 9s75 e um 9s78 que já tinha registrado na temporada. Na final, com Bolt pronto para atacar, não repetiu nenhum dos tempos. Fez 9s80.

"Eu estava me sentindo bem, mas nos últimos cinco metros, eu meio que tropecei um pouco. Mas estou contente por ter conseguido vir para a pista, correr e representar o meu país. É claro que todo mundo quer vencer, mas o grande Usain acabou vencendo na linha de chegada. Vamos torcer para que nós tenhamos mais duelos assum no futuro", disse o norte-americano.

O tropeço de que ele fala aconteceu logo no finalzinho da prova. Bolt, como sempre, largou atrás, mas usou sua velocidade incrível para recuperar posições e emparelhar com o rival. Gatlin, aparentemente, se precipitou com a proximidade do recordista mundial e tentou esticar o pescoço antes do tempo.

Foi o terceiro título de Bolt nos 100m em quatro tentativas. No Mundial de 2011, na Coreia do Sul, ele queimou a largada na final e foi eliminado. Quem venceu aquele mundial foi outro jamaicano, jamaicano, Johan Blake.

Bolt também errou no dia. Mas foi na semifinal: nos primeiros passos após a largada, tropeçou e perdeu impulso. Mas se recuperou para bater os demais corredores. "Quando sai da prova, fui conversar com meu técnico. Ele disse que eu estava pensando demais em tudo. Acho que ele estava certo, era exatamente o que eu precisava fazer", diz o campeão mundial.

Agora, Bolt e Gatlin voltam a competir na terça-feira, nos 200m. A prova favorita de Bolt.

Fonte: UOL.COM.BR