Publicado em 20/10/2015 as 12:00am

Mulheres protestam no Québec contra uso de véu islâmico

No mês passado, a questão do uso do niqab agitou a campanha eleitoral quando a justiça autorizou uma mulher de origem paquistanesa de Toronto a usar o véu integral para prestar juramento e obter a cidadania canadense.

Algumas mulheres apresentaram-se nesta segunda-feira em diferentes locais de votação com o rosto coberto pelo niqab ou com um véu para protestar contra a recente autorização às mulheres para usar o niqab em cerimônias de outorga da cidadania canadense.

Em Saint-Hubert, nos subúrbios do sul de Montreal, Catherine Leclerc chega com a cabeça e a parte superior do corpo totalmente cobertas por um véu integral (niqab) preto, para exercer seus deveres cívicos da seção eleitoral.

"Este símbolo do niqab não é um símbolo religioso, é um símbolo político, um símbolo de opressão da mulher que não deveria ser tolerado numa sociedade igualitária", declarou Leclerc na saída do local.

Assim como ela, vários quebequenses votaram nestas eleições legislativas canadenses com um saco de batatas fritas na cabeça ou outros recursos para esconder o rosto.

No mês passado, a questão do uso do niqab agitou a campanha eleitoral quando a justiça autorizou uma mulher de origem paquistanesa de Toronto a usar o véu integral para prestar juramento e obter a cidadania canadense.

O governo conservador prometeu que, caso vença nas eleições, legislaria para obrigar as candidatas à cidadania a prestar juramento com a cabeça descoberta.

O social-democrata Thomas Mulcair acusou o chefe de governo de querer dividir a sociedade. Justin Trudeau, candidato do Partido Liberal, afirmou que não cabe ao estado julgar como "uma mulher deve se vestir" e citou a Carta de Direitos Humanos e Liberdades do Canadá.

Ao usar o niqab na hora de votar, "meu propósito é denunciar a desigualdade entre homens e mulheres, que às vezes é tolerada no Canadá", afirmou Catherine Leclerc.

Para Martine, outra eleitora trajando o véu, "as mulheres lutaram no Québec para ser livres". Ao usarem o niqab, essas mulheres demonstram que "são submissas e isso vai de encontro aos nossos valores", declarou à AFP.

Fonte: istoedinheiro.com.br