Publicado em 22/10/2015 as 12:00am

Operação dos EUA contra EI no Iraque liberta 70 reféns

"Esta operação foi planejada deliberadamente e lançada após o recebimento de informações de que os reféns sofreriam uma execução em massa iminente", disse Cook em um comunicado.

Tropas curdas, apoiadas por forças de operações especiais americanas, invadiram uma prisão do grupo Estado Islâmico no Iraque nesta quinta-feira, libertando 70 reféns em uma missão de alto risco que deixou um militar americano morto, informou o Pentágono.

O secretário de imprensa do Pentágono, Peter Cook, disse que cinco militantes do EI foram capturados e outros foram mortos no ataque contra um complexo perto de Hawijah, no Iraque. Segundo ele, um integrante da equipe americana morreu pelos ferimentos sofridos durante a missão de resgate.

A operação "foi autorizada em conformidade com nosso esforço contra o ISIL (EI) para treinar, aconselhar e auxiliar as forças iraquianas", acrescentou, utilizando uma nomenclatura alternativa para o Estado Islâmico, grupo jihadista que tentou erguer um califado islâmico em grande parte do Iraque e da Síria.

Cook disse que helicópteros e forças de operações especiais dos Estados Unidos acompanharam as forças curdas Peshmerga ao complexo prisional.

Um dos americanos foi ferido "ao atuar apoiando as forças iraquianas Peshmerga depois que ficaram sob o fogo do ISIL", e morreu posteriormente, após receber atendimento médico, explicou.

"Aproximadamente 70 reféns foram resgatados, incluindo mais de 20 membros das forças de segurança iraquianas".

"Cinco terroristas do ISIL foram detidos pelos iraquianos e um certo número de terroristas do ISIL foram mortos. Além disso, os Estados Unidos recolheram informações de inteligência importantes" sobre o grupo, disse Cook.

O general Lloyd Austin, comandante das forças americanas no Oriente Médio, descreveu a operação de resgate como "complexa e altamente bem-sucedida".

Fonte: em.com.br

Top News