Publicado em 12/11/2015 as 12:00am

EUA detêm afilhado e sobrinho de Maduro por tráfico

Efraín Antonio Campo Flores e Francisco Flores de Freitas são acusados de conspirar para transportar 800 kg de cocaína ao país

A justiça dos Estados Unidos deteve o afilhado e um sobrinho do presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, acusados de conspirar para transportar 800 kg de cocaína para o território americano, informou nesta quarta-feira (11) o jornal The Wall Street Journal, que citou fontes ligadas ao caso.

Efraín Antonio Campo Flores, afilhado do líder venezuelano, e Francisco Flores de Freitas, seu sobrinho, foram detidos em Porto Príncipe, a capital do Haiti, na terça-feira (10) pela polícia local e entregues imediatamente à Agência Antidrogas dos EUA (DEA, sigla em inglês), que os transferiu no mesmo dia para Nova York, segundo as fontes.

De acordo com o jornal americano, os detidos terão que se apresentar a um juiz federal em Nova York nesta quinta-feira (12).

Efraín, de 29 anos, se identificou para os agentes da DEA como afilhado de Maduro e foi criado pela esposa do presidente venezuelano, Cilia Flores, que é tia do outro detido, Francisco Flores de Freitas.

As detenções ocorrem no momento em que várias investigações estão abertas nos Estados Unidos sobre supostas atividades ligadas ao tráfico de drogas e à lavagem de dinheiro por parte da cúpula militar venezuelana, da polícia e de funcionários do governo.

O WSJ garante que os dois familiares de Maduro fizeram contato com um informante confidencial da DEA em Honduras em outubro e lhe pediram ajuda para transportar 800 kg de cocaína através da ilha hondurenha de Roatán.

Em reuniões posteriores na Venezuela, gravadas pelos agentes da DEA, os dois venezuelanos levaram 1 kg de cocaína para o contato citado para comprovar a qualidade da droga prometida, que seria vendida em Nova York.

O cônsul da Venezuela em Nova York, Calixto Ortega, esteve em contato com a DEA durante as detenções, segundo as fontes do jornal americano.

Fonte: terra.com.br