Publicado em 19/11/2015 as 12:00am

Obama: Assad deve deixar o poder para permitir o fim da guerra na Síria

EUA descartaram possibilidade de presidente sírio participar de eleições. Declaração foi dada após reunião com o presidente russo, Vladimir Putin

 

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou nesta quinta-feira (18) que a guerra civil na Síria não poderá chegar ao fim sem que Bashar al-Assad deixe o poder, descartando a possibilidade do presidente sírio participar em futuras eleições.

"Não prevejo uma situação na qual possamos acabar com a guerra civil na Síria enquanto Assad permaneça no poder", disse Obama, poucos dias depois de uma reunião com o dirigente que representa o principal apoio de Assad, o russo Vladimir Putin.

O destino de Assad provoca fortes divergências entre os ocidentais, de um lado, e Moscou e Teerã, do outro. O tema se tornou um dos principais obstáculos para estabelecer um plano de paz na Síria.

Obama e Putin se reuniram no domingo na Turquia e deram mostras de uma aproximação das posições para chegar a um acordo.

Obama insistiu que os sírios não aceitarão que Assad permaneça no poder, após uma guerra civil na qual o regime cometeu ataques indiscriminados contra civis.

"Mesmo se eu dissesse que seria OK, eu não acredito que funcionaria", disse Obama em Manila (Filipinas), onde acontece a reunião da Apec (Fórum de Cooperação Econômica Ásia-Pacífico).

"Você não conseguiria fazer com que a população síria, a maior parte, aceitasse este tipo de saída", completou.

Os ataques de Paris e Beirute e o atentado contra um avião russo no Egito --todos reivindicados pelo grupo Estado Islâmico (EI)-- tornaram mais urgente a tentativa de encontrar uma solução para a Síria, onde a organização jihadista está muito implantada.

Obama se reuniu em Manila com o primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau, que prometeu que seu país continuará sendo um aliado forte na luta contra o EI, mas sem recuar na decisão de encerrar os bombardeios no Iraque e na Síria.

Fonte: uol.com.br