Publicado em 1/12/2015 as 12:00am

Ex-presidente argentino Menem é condenado por corrupção

Carlos Menem, foi condenado nesta terça-feira (1º) a 4 anos e meio de prisão e proibição perpétua de exercer cargos públicos

O ex-presidente da Argentina, Carlos Menem, foi condenado nesta terça-feira (1º) a 4 anos e meio de prisão e proibição perpétua de exercer cargos públicos por ter desviado dinheiro para fazer pagamentos extras a ministros e secretários durante sua gestão (1989-1999).

Além disso, o Tribunal Oral Criminal Federal 4 condenou o ex-ministro da Economia Domingo Cavallo a três anos e meio de prisão e o ex-ministro da Justiça Raúl Granillo Ocampo a 3 anos e 3 meses de prisão. Por outro lado, os magistrados absolveram a ex-secretária do Meio Ambiente María Julia Alsogaray.

Os fundamentos da sentença serão divulgados no dia 2 de março do ano que vem.

A Procuradoria argumentou que Menem foi o "principal responsável" por organizar um sistema de desvio de verbas reservadas para inteligência para distribuí-las de maneira ilícita entre os ministros e secretários durante seus dois mandatos presidenciais.

Segundo a Procuradoria, Cavallo fez uma "contribuição técnica" para a manobra.

Menem, que tem privilégios como senador, foi investigado em várias causas por supostos atos de corrupção em seu governo e já foi condenado a sete anos de prisão pela venda ilegal de armas a Equador e Croácia entre 1991 e 1995.

Fonte: terra.com.br