Publicado em 18/12/2015 as 12:00am

Papa Francisco assina decreto que autoriza canonização de Madre Teresa de Calcutá

Papa reconheceu milagre em brasileiro atribuído a Madre Teresa de Calcutá

O papa Francisco assinou o decreto para a canonização de madre Teresa de Calcutá, que acontecerá previsivelmente no dia 4 de setembro de 2016, informou, nesta sexta-feira (18), o escritório de imprensa do Vaticano.

Francisco assinou ontem à tarde o decreto que reconhece a "cura extraordinária" de um brasileiro em 2008, que estava em fase terminal, devido a graves problemas cerebrais, após a intervenção divina da fundadora da Congregação das Missionárias da Caridade e que dedicou sua vida aos mais necessitados em Calcutá, na Índia.

A data da canonização da beata Teresa de Calcutá será comunicada pelo papa no próximo mês de fevereiro, durante o Consistório ordinário (assembleia com a presença de cardeais), mas tudo indica que a data na qual a freira de origem albanesa se tornará santa será no dia 4 de setembro de 2016, no domingo mais próximo a 5 de setembro, data na qual morreu em 1997.

A proclamação como santa de madre Teresa de Calcutá será um dos grandes eventos que acontecerão durante o Ano Santo Extraordinário da Misericórdia.

O suposto milagre que foi escolhido e aprovado pela comissão teológica da Congregação para a Causa dos Santos aconteceu em dezembro de 2008, quando o doente, já em coma, ia ser operado, mas por problemas técnicos a cirurgia teve que ser adiada durante meia hora.

Ao retornar à sala de cirurgia - segundo o jornal "Avvenire", o primeiro a informar nesta quinta-feira (17) esta notícia -, o médico encontrou o paciente sentado, assintomático, acordado, perfeitamente consciente e perguntando o que estava fazendo ali.

O médico explicou durante a fase de estudo deste suposto milagre que nunca tinha visto "um caso como este" e que todos os pacientes similares que tinha tratado em seus 17 anos de profissão tinham morrido.

O papa João Paulo II, grande admirador do trabalho de madre Teresa de Calcutá, foi quem em 2002 acelerou o processo de beatificação da freira ao autorizar - promulgando em uma mesma sessão os decretos pelos quais se reconheciam as virtudes heroicas e um milagre pela intercessão da religiosa - dois dos passos para ser beatificada.

O milagre aprovado naquela ocasião foi a suposta "cura inexplicável" de uma mulher indiana de religião animista, Monica Bersa, de 34 anos, que tinha um tumor no abdômen e do qual ficou curada em 1998.

Madre Teresa, primeira pessoa a ganhar um prêmio Nobel e ser santificada, foi proclamada beata no dia 19 de outubro de 2003 em cerimônia na Praça de São Pedro do Vaticano.

A freira, cujo verdadeiro nome era Ines Gonxha Bojaxhiu, nasceu em 20 de agosto de 1910 em Skopje, capital da atual república da Macedônia, que então pertencia à Albânia.

Durante sua vida, fundou a Ordem das Missionárias da Caridade e ficou conhecida por seu amor pelos mais pobres e desfavorecidos, pelo que ganhou o prêmio Nobel da Paz em 1979.

Seu enterro em Calcutá, no dia 5 de setembro de 1997, foi um acontecimento nacional na Índia. Milhões de pobres acompanharam seu corpo pelas ruas da cidade. Chefes de Estado e de Governo de todo o mundo participaram do funeral. 

Fonte: terra.com.br