Publicado em 5/01/2016 as 12:00am

China diz que casais não precisarão de aprovação para terem dois filhos

Governo informou que não será mais necessário pedir autorização prévia. Informação sugere maior flexibilização nos controles reprodutivos do país.

A China não irá exigir autorização para que futuros pais possam ter dois filhos sob a nova "política de dois filhos", no que parece ser uma flexibilização ainda maior dos controles reprodutivos no país mais populoso do mundo.

Um documento emitido pelo governo central e o Partido Comunista nesta terça-feira (5) informou que as famílias poderão "organizar a procriação de forma independente" sob a nova política, sem pedido de aprovação.

A Comissão Nacional de Saúde de Planejamento Familiar tinha dito em outubro que casais ainda precisariam de aprovação prévia.

O documento divulgado nesta terça-feira informou que a implementação da política terá início neste ano, mas não divulgou datas.

Abortos e infanticídios

A política de dois filhos em si é uma flexibilização da "política de filho único" que levou a abortos forçados e infanticídios por décadas. Pequim espera reduzir a pressão do envelhecimento populacional.

Cerca de 90 milhões de famílias podem ser beneficiadas pela nova política. A China tinha uma população de 1,37 bilhão de pessoas no final de 2013.

O fim da política do filho único foi anunciado em outubro de 2015.

O governo chinês sempre defendeu que a restrição ao número de filhos, sobretudo em áreas urbanas, contribuiu para o desenvolvimento do país e para a saída da pobreza de mais de 400 milhões nas últimas três décadas. No entanto, também admitiu que estava chegando a hora de essa política ser encerrada.

Desde o fim de 2013 a China já adota medidas de relaxamento do controle de natalidade. Apesar das mudanças, pesquisas mostraram que o número de chineses que querem ter o segundo filho ficou abaixo do esperado.

Fonte: http://g1.globo.com/