Publicado em 7/01/2016 as 12:00am

Irã acusa Arábia Saudita de atacar sua embaixada no Iêmen

Bombardeio aéreo deixou vários feridos da equipe diplomática, segundo porta-voz iraniano

O Irã acusou a Arábia Saudita de bombardear deliberadamente a sua embaixada no Iêmen deixando vários feridos entre a equipe diplomática na noite de quarta-feira, num momento de fortes tensões entre os países após Riad cortar relações diplomáticas com Teerã. Forças sauditas lideram uma coalizão árabe de combate aos rebeldes houthis no território iemenita.

“Esta ação deliberada da Arábia Saudita é uma violação de todas as convenções internacionais para proteger as sedes diplomáticas (...) e o governo saudita é responsável pelos danos causados e pela situação dos membros do pessoal que ficou feridos”, afirmou Hossein Jaber Ansari, um porta-voz do ministério das Relações Exteriores iraniano, citado pela TV oficial.

Jatos da coalizão realizaram intensos ataques aéreos na capital do Iêmen, Sanaa, contra lançadores de mísseis usados pela milícia Houthi.

Segundo o porta-voz da coalizão, o general Ahmed Asseri, os rebeldes têm utilizado instalações civis, incluindo embaixadas abandonadas.

Asseri disse que a coalizão solicitou a todos os países informações sobre a localização de suas missões diplomáticas e que as acusações feitas com base em informações fornecidas pelos houthis "não têm credibilidade".

A ruptura das relações diplomáticas seguiu o ataque de iranianos à embaixada saudita em Teerã em protesto contra a execução de um proeminente clérigo xiita na Arábia Saudita.

Aliados árabes seguiram os passos sauditas e cortaram as laços com o Irã ou reduziram as suas representações diplomáticas. Outros países, como Kuwait, convocaram seus embaixadores em Teerã para consulta em apoio à Arábia Saudita.

O governo do Irã proibiu nesta quinta-feita todas as importações de produtos feitos na Arábia Saudita, segundo a agência de notícias iraniana Isna.

A decisão foi tomada em uma reunião de gabinete comandada pelo presidente Hassan Rouhani.

Fonte: http://oglobo.globo.com

Top News