Publicado em 10/01/2016 as 12:00am

Obama será otimista em discurso e convidará refugiado sírio para assistir

Discurso obrigatório pela constituição americana será exibido na terça (12). Posição é para contrastar republicanos que tentam substituí-lo.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, vai pintar um quadro otimista em seu discurso do Estado da União, que será exibido na TV terça-feira (12), num contraste com os republicanos que buscam substituí-lo na eleição presidencial de novembro de 2016, afirmou seu principal assessor neste domingo.

O chefe de gabinete da Casa Branca, Denis McDonough, disse que o discurso será menos de um rol de projetos legislativos e mais uma espécie de grande retrato do futuro do país.

"Vocês vão ouvir do presidente uma grande, otimista e generosa visão do futuro da América na terça-feira", disse McDonough em uma entrevista no programa da NBC "Meet the Press", uma das várias que deu neste domingo.

Convidados
A Casa Branca também anunciou os nomes dos convidados para se juntarem a Michlle Obama no salão da Câmara dos Representantes em que legisladores, juízes da Suprema Corte e outros dignatários se reunirão para ouvir o presidente falar sobre suas metas para o ano.

Um deles é o refugiado sírio Refaai Hamo, que chegou em Detroit em 18 de dezembro com seus filhos sobreviventes - três filhas e um filho - depois de passarem dois anos na Turquia.

Ele fugiu da Síria depois que um míssil lançado pelo governo sírio destruiu o complexo onde ele e sua família moravam, informou a Casa Branca. A mulher de Hamo, uma de suas filhas e cinco outros membros da família morreram.

Na Turquia, Hamo foi diagnosticado com câncer de estômago. Depois de obter status de refugiado nos Estados Unidos, ele e seus filhos agora estão tentando construir uma nova vida.

A seleção de Hamo é uma resposta afiada dos Obama para aqueles republicanos do Congresso que, em um voto preliminar, desejam bloquear a entrada de refugiados sírios no país, por medo de que terroristas estejam entre eles.

Ao lado de Michelle Obama também estará Naveed Shah, um muçulmano e soldado americano reformado, que era criança quando seus país migraram para o país do Paquistão. Shah entrou no exército em 2006 e serviu no Iraque.

O simbolismo aí também é inconfundível, em um momento no qual Donald Trump, o pré-candidato republicano à Presidência, tem levantado sentimentos anti-islâmicos entre alguns americanos, propondo temporariamente banir todos os muçulmanos do país.

Assuntos do discurso
O presidente dará foco à reviravolta na economia durante seu mandato e tentará evitar ser tachado como incapaz de avançar nas prioridades conforme o Congresso se prepara para seu sucessor, que assumirá o cargo em janeiro de 2017.

O presidente, falando no Capitólio, se dirigirá a membros do Legislativo e outros altos funcionários do governo, incluindo juízes da Suprema Corte.

A perspectiva de Obama é "diferente daquela de tristeza e melancolia que ouvimos dos candidatos republicanos lá fora todos os dias", disse McDonough no programa da ABC News "This Week".

O discurso do Estado da União, que é exigido pela Constituição dos Estados Unidos, será feito mais cedo do que o habitual, em parte para que não seja ofuscado pelas eleições primárias, que começam no dia 1o de fevereiro, em Iowa.

Fonte: Do G1, com informações da Reuters e AFP