Publicado em 12/01/2016 as 12:00am

Primeiro livro do Papa Francisco é lançado com apresentação de Roberto Benigni

'O nome de Deus é misericórdia' será publicado em mais de 80 países, em seis idiomas. Lançamento teve apresentação de Roberto Benigni

O primeiro livro do Papa Francisco, “O nome de Deus é misericórdia”, foi lançado nesta terça-feira em uma cerimônia no instituto Patristico Augustinianum, em Roma. Em um discurso emocionado, o ator italiano Roberto Benigni conduziu a apresentação da obra produzida em conjunto com o jornalista e vaticanista Andrea Tornielli. Ao seu lado, estavam presentes membros da Santa Sé, como o cardeal Pietro Parolin e o padre Federico Lombardi.

Benigni destacou a posição do Pontífice como chefe do Vaticano e fez elogios ao novo livro — que permite, segundo o ator, levar o Papa no bolso.

— Este Papa é um revolucionário maravilhoso — disse. — A misericórdia não é uma virtude que permanece sentada em uma poltrona. Não fica parada por nem um segundo, mas vai de encontro aos pobres e pecadores. Este livro eleva nossos corações sem enfraquecer o cérebro. Se sente que, para Francisco, a vida é compaixão e amor, enquanto o perdão é a base do seu pontificado.

Na obra, o Papa Francisco conclama os líderes da Igreja Católica Romana a agirem com mais compaixão na tarefa de pastorear uma “humanidade ferida”, em vez de agirem como grandes estudiosos da verdade, rápidos na hora de condenar e excluir aqueles que não obedecem os ensinamentos da Igreja.

Já o cardeal Parolin ressaltou que o livro é uma iniciativa de abertura pessoal do Pontífice, embora sem as eventuais revelações ou curiosidades que podem ser esperadas pelos leitores:

— Quem estiver à procura de revelações talvez ficará um pouco decepcionado ao ler estas páginas. Este não é um livro em que Francisco conte curiosidades inéditas ou anedotas particulares sobre si mesmo. Nem mesmo se trata de uma entrevista sobre questões atuais da vida da Igreja e do mundo, como geralmente acontece nas coletivas de imprensa nos aviões, na volta de visitas a outros países. Na verdade este é um livro em que o Papa abre o seu coração. Ele quer nos fazer entrar, quase nos pegando pelas mãos, no grande e reconfortante mistério da misericórdia de Deus. Um mistério tão distante dos nossos cálculos humanos e muito necessário e aguardado nestes tempos de desconfiança e testes.

Resultado de uma série de encontros com Tornielli, a obra será publicada em 84 países, em seis idiomas — italiano, português, inglês, francês, alemão e espanhol. Na capa do livro, sobre um fundo branco e com a ilustração do brasão do Vaticano, o título foi escrito em vermelho pelo próprio Papa.

Fonte: http://www.politicaparaleigos.com.br