Publicado em 12/02/2016 as 12:00am

Após derrota em New Hampshire, Hillary tenta colar imagem em Obama

Sexto debate democrata, na noite de quinta-feira, é marcado por tentativas de desconstrução de adversários

Visivelmente cansados, Bernie Sanders e Hillary Clinton realizaram, na noite desta quinta-feira, o sexto debate entre os pré-candidatos democratas que lutam para a nomeação do partido na disputa da eleição presidencial de novembro. Realizado em Milwaukke (Wisconsin) e transmitido pela PBS e pela CNN, o encontro, o primeiro após a esmagadora vitória de Sanders nas primárias de New Hampshire, mostrou Hillary tentando associar sua imagem à do presidente Barack Obama e o senador querendo uma aproximação com minorias.

Iniciado com um ritmo mais cauteloso, as maiores acusações ocorrem nos minutos finais do programa, que durou duas horas. Mas em todo momento Hillary tentava se posicionar como “herdeira” de Obama, lembrando que ele a escolheu para Secretária de Estado e que os planos de Sanders na área de saúde seriam o equivalente a “acabar com os avanços” realizados pelo presidente. Mas foi na metade final do programa que ela partiu para seu ataque mais forte, dizendo que Sanders disse, em 2011, que Obama era “fraco e decepcionante”:

- Este é o tipo de crítica que espero ouvir dos republicanos - disse Hillary.

- Isso é golpe baixo - rebateu Sanders, dizendo que “ainda vive em uma democracia onde se pode discordar das pessoas”.

Hillary afirmou que tanto ela quanto Sanders recebem doações de milhares de pessoas e que ela é a mais preparada para enfrentar Wall Street. No fim de sua participação, tentou rotular Sanders, dizendo que ela não é “a candidata de um assunto só”, em referência a Sanders e sua luta contra bilionários e o sistema financeiro. Sanders sempre levava suas respostas para assuntos econômicos, inclusive para falar sobre racismo.

- Não devemos fazer promessas que não podemos cumprir - afirmou Hillary, tentando reforçar sua campanha de que ela é a candidata que “consegue fazer mudanças” e afirmando que as promessas de Sanders, como saúde universal e ensino superior gratuito, levaria o governo a ser 40% maior.

Questionada sobre sua baixa votação feminina, Hillary teve uma de suas melhores respostas do debate:

- Passei toda a minha vida trabalhando para poder fazer com que as mulheres possam ter o poder de fazer suas escolhas, mesmo que esta escolha seja não votar em mim - disse ela.

Sanders, por sua vez, também foi bem aplaudido ao mostrar sua defesa dos direitos das mulheres, como o aborto:

- Se isso não é hipocrisia, eu não sei o que é hipocrisia - disse o senador, lembrando que os republicanos querem que o governo intervenha nas escolhas da saúde da mulher, limitando o aborto, mas quer o governo longe de todas as demais áreas da economia e da sociedade americana.

Em um ponto, o discurso de Sanders e do republicano Donald Trump se assemelham: críticas à China. Ele disse que os governos nada tem feito para impedir que empresas americanas se mudem para o país asiático, exatamente o mesmo questionamento feito pelo bilionário do partido adversário. Sanders tentou falar muito de questões raciais, de olho no eleitorado da Carolina do Sul, lembrando que seu plano econômico privilegia muito os mais pobres, notadamente os negros, e defendeu uma ampla reforma prisional, que também leva mais negros a cadeia:

- Aqui está uma promessa que farei: no fim do meu primeiro mandato como presidente não seremos mais o país com mais pessoas na prisão - disse ele, criticando, por exemplo, quem é detido por portar maconha, enquanto bilionários que causaram a crise de 2008 continuaram soltos.

Sanders afirmou que o presidente Theodore Roosevelt apoiaria sua proposta de regulamentar o setor financeiro e defendeu o diálogo como base da política externa e arrancou risadas quando retrucou Hillary em uma resposta, dizendo “que ela ainda não está na Casa Branca”, o que reforça a imagem de arrogante que a candidata tem em parte do eleitorado. Ele voltou a criticar que ela recebe recursos de grandes empresas e do setor financeiro.

Visando atingir o eleitorado latino de Nevada, que realiza caucus (reunião de eleitores) neste mês, ambos se atacaram sobre imigração. Hillary lembra que Sanders votou contra a Reforma Migratória de 2007, por querer algo melhor e o país acabou ficando sem nada. Ele se defendeu dizendo que sua posição foi defendida por grandes associações de latinos, à época. Por outro lado, ele disse que Hillary criticou as crianças da América Central que entram sem adultos no país, mas a secretária de estado afirmou que criticou os pais que permitem que estas crianças tentem uma travessia tão arriscada.

O próximo debate entre os dois candidatos está previsto para o dia 6 de março, após as escolhas da Carolina do Sul, Nevada, dos 11 estados que vão fazer suas primárias na chamada “superterça”, dia 1º de março, e quatro outros estados que realizam as escolhas entre os dias 5 e 6 de março, ou seja, até lá 19 dos 50 estados já terão escolhido seus candidatos.

 

Fonte: http://g1.globo.com