Publicado em 19/02/2016 as 12:00am

Trump rebate Papa: deve rezar para eu salvar Vaticano do EI

O Papa Francisco é a mais nova vítima da metralhadora verbal do pré-candidato à presidência dos Estados Unidos Donald Trump.

Em resposta às críticas do papa Francisco, o pré-candidato republicano à Casa Branca Donald Trump disse que o líder católico deveria "rezar" para que ele vença as eleições e impeça o Estado Islâmico de atacar o Vaticano.

"Todos sabem que o objetivo final do Estado Islâmico é atacar o Vaticano. O Papa deveria rezar para que Trump se torne presidente para que isto não aconteça", disse o magnata, em um evento na Carolina do Sul.

O Pontíficie, que já havia sido criticado por Trump por ser "muito politizado" e "não conhecer a história dos Estados Unidos", disparou mais cedo contra o magnata e pré-candidato republicano à Casa Branca, que defende políticas contrárias à imigração nos Estados Unidos.

"Uma pessoa que pensa em construir muro, qualquer que seja, em vez de criar pontes, não é cristão. Isto não está no Evangelho", disse o líder da Igreja Católica, em uma conversa com jornalistas dentro do avião que o levou do México à Itália, após uma viagem de quase uma semana ao continente americano.

Trump, que lidera várias pesquisas de intenção de voto nos Estados Unidos, disse que gostaria de construir um muro na fronteira do país e que deportaria cerca de 10 milhões de imigrantes.

O magnata também já se envolveu em uma série de polêmicas devido às suas declarações de caráter xenofóbico. Questionado sobre se os eleitores norte-americanos deveriam eleger Trump, o Papa tentou se esquivar, mas não deixou de alfinetar o pré-candidato. "Não vou me intrometer. Só digo que este homem não é cristão por dizer estas coisas. Precisa ver se ele disse realmente isso ou não. Dar o benefício da dúvida", comentou Francisco.

O Papa também rebateu a crítica de Trump de ser um homem "muito politizado" para ser líder da Igreja Católica. "Graças a Deus que ele (Trump) disse que sou um político, porque Aristóteles define a pessoa humana como 'animal político', ou seja, sou humano. Sobre eu ser um 'peão', talvez eu seja, talvez não. Deixo para o povo julgar", disse o Francisco.

Com informações da Agência Ansa.

 

Fonte: noticias.terra.com.br

Top News