Publicado em 3/03/2016 as 12:00am

Após sanções da ONU, Coreia do Norte lança mísseis, diz Coreia do Sul

O conchas, de curto alcance tiro da costa leste e caiu no Mar do Japão

A Coreia do Norte disparou quinta-feira seis curtas - mísseis de alcance de sua costa leste em direção ao mar, como relatado pelo Ministério da Defesa sul-coreano, que é interpretado como uma resposta à resolução da ONU aprovou na quarta-feira que endurece sanções contra o regime liderado por Kim Jong-un.

Os mísseis foram lançados a partir de Wonsan, uma cidade portuária e base naval na costa leste da Coréia do Norte em torno de 10.00 hora local (1.00 GMT), de acordo com a agência de notícias Yonhap. Como de costume, nenhuma confirmação oficial desta operação pelos meios de comunicação norte-coreanos, que não fizeram qualquer referência a resolução aprovada pela ONU, que recolhe as sanções econômicas mais severas impostas sobre a China nos últimos 20 anos.

O Ministério da Defesa sul-coreano está ainda a analisar que tipo de mísseis foram lançados, mas confirmou que "várias rondas" de mísseis foram disparados e todos eles caíram sobre o mar depois de viajar entre 100 e 150 quilômetros. O Exército do Sul aumentou sua vigilância sobre seus vizinhos do norte.

Lança mísseis de curto alcance pelos militares norte-coreano são comuns em resposta ao que considera ameaças de fora, tais como manobras militares conjuntas que fizeram a Coreia do Sul e os Estados Unidos a cada ano na península coreana. Outras vezes ele faz simplesmente como parte de sua rotina.

As sanções da ONU, incluindo uma proibição de venda do regime certos recursos naturais usados para desenvolver seu programa nuclear, exigem a registar quaisquer mercadorias que entram ou saem do país, seja por terra, mar ou ar. Também proíbe a exportação de carvão, ferro e outros minerais da Coreia do Norte, até agora representou quase metade do total das vendas externas do país e representam uma importante fonte de divisas. Um dos principais fornecedores da China é a China, que desta vez também apoiou a resolução do Conselho de Segurança.

A decisão de reforçar as sanções veio depois de janeiro passado 6 Coreia do Norte realizou seu teste nuclear em quarto lugar, que explodiu "satisfatoriamente" uma bomba de hidrogênio, de acordo com a mídia estatal garantidos, qual o comunidade internacional questionada. Um mês depois, o regime lançou um longa - foguete gama de colocar teoricamente em órbita um satélite, mas foi considerado como um teste disfarçado de um míssil balístico.

Estes dois episódios acabou com a paciência da Coreia do Sul, ainda tecnicamente em guerra com o Norte. Seul ordenou o fechamento temporário da propriedade industrial Kaesong , uma das poucas iniciativas conjuntas entre os dois países e reeditada propaganda contra o regime Kim através de alto-falantes que são instalados na fronteira.

 

Fonte: http://internacional.elpais.com/