Publicado em 21/03/2016 as 3:27pm

Curadora leva obras de 35 artistas brasileiros para Nova York

Trabalhos foram expostos em uma galeria nos EUA nesta quarta-feira (16). Angela de Oliveira é natural de Itapetininga e realiza exposições itinerantes.

 

Trinta e cinco artistas brasileiros que fazem parte do projeto ‘Marés, Flores, Cores e Estrelas Guia’ estão com as suas obras expostas em uma galeria de New York desde quarta-feira (16) até o dia 28 de março. O projeto foi idealizado pela produtora cultural e curadora de Itapetininga (São Paulo), Angela de Oliveira e tem como objetivo divulgar e valorizar a arte brasileira pelo mundo.

Angela contou que é formada em artes plásticas e há três anos decidiu que ia investir em novos talentos brasileiros. Então, começou a trabalhar como curadora e montou um escritório em São Paulo, cidade onde mora atualmente. Sua intenção é levar cada vez mais a arte brasileira para o mundo.

“A intenção é que a nossa arte seja cada vez mais divulgada em diversos países para que seja valorizada. Além disso, meu principal objetivo é aquecer o mundo com as cores e sentimentos do Brasil, pois temos muito do que nos orgulharmos. A arte é uma forma rica de expressarmos a nossa energia, a nossa esperança e o Brasil é muito rico quando falamos em artes plásticas, arquitetura e música”, afirma.

Desde que decidiu investir em exposições itinerantes, Angela já conseguiu levar a arte brasileira para serem expostas na França e Áustria, além dos Estados Unidos. “Gostei tanto da experiência no exterior que decidi pautar meu trabalho como curadora em coletivas internacionais e em galerias selecionadas."

Agora, é a primeira vez que Angela consegue levar a exposição para Nova York, que é conhecida como a capital cultural do mundo. Para ela, é um marco importante. “Nova York tem mais de mil galerias de arte na cidade e é um berço mundial de estilos. Então, chamar atenção, abrir espaço e provocar questionamentos são algumas das sensações que a exposição vai proporcionar ao público. Estou muito feliz e animada por ter conseguido levar essas obras para lá. Claro que dá uma ansiedade, mas sei que vai dar tudo certo e que todos vão gostar do trabalho dos artistas brasileiros”, afirma.

 

‘É gratificante’

Segundo Angela, é emocionante levar a arte brasileira para outros países. “Em Viena tivemos uma amostra de como a nossa arte é admirada e valorizada. As pessoas elogiaram, principalmente porque as obras são alegres e passam esperança. Muitos vieram falar que chegaram a ser tocados com as obras. Então, apresentar ao mundo novos talentos brasileiros é gratificante demais. É dar esperança. Ver a emoção de um artista perante uma repercussão positiva de seu trabalho não tem explicação", ressalta.

Para os artistas que participam da mostra, segundo a curadora, a importância de um evento internacional é a realização de um sonho. “Creio que mais do que promover a arte estou criando oportunidades novas. Cada um dos participantes volta para casa satisfeito e com o trabalho valorizado”, afirma.

Ainda segundo Angela, já estão confirmadas outras mostras em Miami, Porto e São Paulo. “Estão nos meus planos passar por França, Suíça, Itália, outras cidades dos Estados Unidos e Alemanha. A arte brasileira é muita rica e elogiada em outros países. Esse momento é propício para a ação. Então, nós vamos aquecer o mundo com nossa arte e nossas cores”, ressalta.

 

Fonte: braziliantimes.com