Publicado em 19/09/2016 as 12:00pm

Brasileiros relatam clima em NY após a explosão

Nas redes sociais, internautas registraram problemas na rede de transportes

Uma explosão sacudiu o bairro movimentado Chelsea de Manhattan (New York), na noite do último sábado (17), ferindo pelo menos 29 pessoas. As autoridades locais disseram que estavam investigando a explosão como um ato criminoso, porém, não imediatamente ligados a qualquer organização terrorista.

O prefeito de New York, Bill de Blasio e outras autoridades da cidade, disseram que os investigadores tinham descartado um vazamento de gás natural como a origem da explosão e se recusaram a especificar exatamente o que eles acreditavam que poderia ter provocado a explosão.

A polícia disse que uma varredura do bairro após a explosão transformou-se um possível "dispositivo secundário" a uma curta distância.

A CNN, citando fontes policiais, informou que parecia ser uma panela de pressão com fios ligados, que se assemelhava a um telefone celular.

De Blasio disse que as suspeitas iniciais eram de "um ato intencional." Ele acrescentou que o local da explosão, do lado de fora em uma importante via na elegante zona de New York, estava sendo investigado como uma cena de crime.

"Não há nenhuma evidência neste momento de uma conexão de terror", disse o prefeito em uma entrevista coletiva de cerca de três horas após a explosão. Ele acrescentou: "Não há nenhuma ameaça específica e credível contra a New York neste momento de qualquer organização terrorista."

Brasileiros residentes ou de passagem pela cidade relataram o clima nas ruas após a explosão. “Sai do trabalho às 10 da noite e já são 11:23 e não consigo sair da cidade. tô no pontinho azul, trafico horrível em decorrência de uma bomba que explodiu a alguns blocos de onde estou. A ilha de Manhattan está um caos total”, escreveu em seu perfil no Facebook o brasileiro Clesio Nansi.

No Twitter, alguns brasileiros reclamaram de transtornos no transporte público.

Outros se assustaram com a proximidade de suas casas e relataram a dificuldade em encontrar táxis.

Fonte: Da redação