Publicado em 8/12/2016 as 8:00am

Trump nomeia general 'cão furioso' para cargo de Secretário

Para o presidente eleito, Mattis foi 'um dos generais mais eficientes dos EUA durante muitas décadas'

O presidente recém-eleito dos EUA, Donald Trump, apresentou a candidatura do general aposentado da Infantaria da Marinha ao posto de Secretário de Defesa norte-americano.

"Para que a nossa estratégia militar seja bem-sucedida, precisamos da pessoa certa para chefiar o Departamento de Defesa. Por isso, estou feliz por anunciar minha intenção de nomear o general James Mattis para o cargo de ministro da Defesa", comunicou Trump em seu discurso na Carolina do Norte, transmitido pelo canal de TV Fox News.

Trump se referiu a Mattis, com 66 anos de idade, como "um dos generais mais eficientes dos EUA durante muitas décadas".

Quem é o misterioso "cão furioso"?

Nativo do estado transpacífico de Washington, James Mattis se alistou ao serviço militar em 1969, fazendo parte do Corpo de Infantaria da Marinha dos EUA. Em 1991, participou da guerra no Golfo Pérsico, mais tarde — da operação no Afeganistão, e a partir de 2003 comandou uma divisão no Iraque. Entre 2010 e 2013, o militar serviu ao Comando central dos Estados Unidos, responsável pelos assuntos do Oriente Médio e da Ásia Central.

Depois de muitos anos de serviço, Mattis recebeu a alcunha "cão furioso", apelido mencionado por Trump em um dos seus comunicados após o encontro com o general. Mattis, que nunca se casou, também é conhecido como "monge militar". Após se aposentar, o general dedicou-se à pesquisa cientifica, integrou-se ao Conselho Executivo da empresa de defesa General Dynamics e participou do funcionamento de uma série de organizações não governamentais que lidam com os assuntos das forças armadas.

O candidato várias vezes manifestou seu descontentamento à política de Barack Obama no Oriente Médio, em particular, ao acordo nuclear iraniano. A postura de Mattis quanto ao Irã é parecida à promovida por Trump durante sua campanha eleitoral.

Como é efetuada a nomeação?

Donald Trump tomará posse em 20 de janeiro de 2017. Após a cerimônia, ele dará início às nomeações de seus candidatos aos cargos de ministros para avalição do Congresso norte-americano. Entretanto, a nomeação de um chefe do Pentágono exige permissão adicional do Senado: em 1947, foi adotada a lei que prevê que o ministro de Defesa deve ser um civil ou uma pessoa que tenha deixado o serviço militar há mais de 10 anos. Em 2008, este prazo foi reduzido para 7 anos, porém, Mattis se aposentou apenas em 2013. Durante toda a história dos EUA, o Senado abriu exceção uma vez — em 1950, quando o posto de ministro foi ocupado pelo general George Marshall. (Sputnik)

Fonte: https://www.noticiasaominuto.com.br