Publicado em 12/06/2017 as 1:00pm

'Estrangulado até a morte': o caso de John Hernández, que indignou a comunidade hispânica nos EUA

Três dias depois de ser estrangulado, John Hernández, de 24 anos, teve a morte cerebral confirmada.

'Estrangulado até a morte': o caso de John Hernández, que indignou a comunidade hispânica nos EUA Incidente aconteceu no dia 28 de maio, em Houston, no Texas

O episódio que levou à morte do rapaz de origem mexicana ocorreu na noite de 28 de maio, em Houston, Estado americano do Texas.

Segundo a investigação, Hernández estava alcoolizado e urinava do lado de fora de um restaurante quando foi abordado por Terry Thompson.

Um vídeo filmado de um celular mostra como Thompson se manteve em cima de Hernández até ele desmaiar.

As imagens mostram que testemunhas não conseguiram fazer com que o agressor soltasse a vítima.

"Ele o estrangulou até matá-lo", disse Randall Kallinen, advogado da família de Hernández à BBC Mundo, serviço em espanhol da BBC.

"Não sabemos com exatidão o que aconteceu antes, mas em dado momento Terry Thompson pulou para cima de John Hernández (...) Ele foi estrangulado até deixar de respirar e sofreu morte cerebral", explicou.

Kallinen acrescentou que Hernández estava ao lado da mulher e da filha de três anos.

Na quinta-feira, um tribunal do condado de Harry, em Houston, acusou Terry e sua mulher, Shauna Thompson, de assassinato pela morte de John Hernández.

No entanto, a defesa de Thompson alega que, na verdade, Hernández foi quem começou a briga.

Na quinta-feira, um tribunal do condado de Harry, em Houston, acusou Terry e sua mulher, Shauna Thompson, de assassinato pela morte de John Hernández

Circunstâncias

A falta de oxigênio foi apontada como a causa da morte cerebral de Hernández.

Testemunhas relataram à emissora de TV americana CBS que Hernández foi "neutralizado rapidamente" por Thompson, que começou a golpeá-lo e o manteve em posição de estrangulamento por vários minutos.

Segundo elas, Hernández estava "muito bêbado" para se defender.

A investigação mostrou que Thompson era casado com Shauna Thompson, que trabalha na delegacia de polícia do condado de Harris.

Kallinen acrescentou que a mulher estava presente no momento do incidente, como se pode ver no vídeo.

"Legalmente, ela é cúmplice do crime", explicou.

Segundo o advogado, Terry Thompson poderia ser condenado por assassinato, homicídio involuntário ou homicídio criminal imprudente.

Versão de Thompson

O acusado não foi preso imediatamente depois do fato e permanece em liberdade, à espera do julgamento que acontecerá em Houston.

Scott Courtney, advogado dos acusados, disse que Hernández foi, na verdade, o agressor.

Courtney assegurou que testemunhas viram Hernández atacar primeiro Thompson, segundo a CBS.

O advogado acrescentou que seu cliente não tinha a intenção de matar ninguém e que o casal vem recebendo ameaças desde o incidente.

Segundo a emissora de TV KHOU, Shauna Thompson foi suspensa do trabalho.

Nas redes sociais, organizações civis de diversos Estados americanos exigiram justiça usando a hashtag #JusticeForJohnHernandez

Reação nas redes sociais

Na última quinta-feira, a família de Hernández, acompanhada por membros da comunidade hispânica do Texas, realizou uma passeata pelo centro de Houston exigindo a prisão de Thompson e uma investigação independente sobre o que aconteceu no dia 28 de maio.

Vígilias e protestos acontecem em Houston desde o incidente.

Nas redes sociais, organizações civis de diversos Estados americanos exigiram justiça usando a hashtag #JusticeForJohnHernandez (#JustiçaparaJohnHernández, em português).

Melissa Trammel, garçonete do restaurante que presenciou o incidente, afirmou que "suplicou" para que Thompson saísse de cima de Hernández.

"Eu e meu gerente suplicamos a Thompson que parasse o que estava fazendo porque ele (Hernández) estava ficando roxo, mas ele não nos deu ouvidos", disse ela.

Fonte: bbc.com