Publicado em 12/06/2017 as 3:00pm

Porto Rico decide se tornar 51º estado dos EUA

O referendo consultivo terminou com cerca de 97% dos votos favoráveis ao projeto de mudança de status político.

Porto Rico decide se tornar 51º estado dos EUA O governador de Puerto Rico, Ricardo Antonio Rosselló Nevares, de branco, cumprimenta eleitores em Guaynabo (Foto Reuters)

Com cerca de 97% dos votos favoráveis, segundo resultados quase definitivos, Puerto Rico escolheu se tornar o 51º estado dos EUA. O referendo consultivo realizado neste domingo (11), no entanto, foi largamente boicotado pela oposição e registrou uma baixa afluência: apenas 22,7% dos 2,2 milhões de cidadãos com direito de voto foram às urnas.

Esses resultados eram previsíveis, considerado o boicote dos partidos Independentista Porto-riquenho (PIP) e Popular Democrático (PPD), que consideraram a consulta "uma farsa", pois o referendo não é vinculante para os EUA.

Entretanto, Ricardo Rousselló Nevares, o governador da antiga colônia espanhola que se tornou território norte-americano no final do século XIX, já prometeu defender em Washington e nos fóruns internacionais a vontade dos eleitores.

"Recorreremos aos fóruns internacionais para defender a importância de que Porto Rico seja o primeiro estado hispânico dos Estados Unidos", disse o político, acompanhado de sua esposa Beatriz Areizaga García no município de Guaynabo, a oeste de San Juan.

Porto Rico é uma ilha do Caribe que os Estados Unidos tomaram da Espanha em 1898. Em 1952, Washington lhe conferiu o status de "Estado livre associado", o que lhe dá alguns direitos nos Estados Unidos, como a cidadania e liberdade de movimento, além de alguma autonomia.

Porto Rico atravessa há uma década uma grave crise econômica. A ilha vivia das grandes empresas atraídas por isenções fiscais, mas esses benefícios foram abolidos em 2006, dando início à queda livre.

Hoje, 46% dos seus 3,5 milhões de habitantes vivem na pobreza. A ilha está dizimada por uma dívida de mais de 70 bilhões de dólares que não pode honrar e no mês passado caiu na maior falência de uma entidade americana.

Washington passou a supervisionar suas finanças, mas não mostra vontade de resgatar Porto Rico, entre outras coisas, porque não é propriamente um estado da União.

Sob o status atual, os porto-riquenhos são cidadãos americanos, mas não podem votar em eleições presidenciais, a menos que residam no continente.

O povo da ilha pode entrar e deixar livremente os Estados Unidos e as duas economias estão intimamente ligadas.

Mas os porto-riquenhos são representados no Congresso por apenas um comissário consultiva, sem voto. E Washington tem a última palavra em assuntos de seus territórios.

No último referendo em 2012, a maioria dos eleitores disse estar descontente com o status atual. Mas desde então nada mudou e Rosselló quer tentar novamente uma mudança.

Fonte: Por France Presse