Publicado em 23/06/2017 as 4:00pm

Sifões de chantilly do tipo que matou blogueira francesa já tinham dado problema anteriormente

Rebecca Burger, de 33 anos, conhecida no mundo do exercício físico e dos esportes, morreu após o sifão de chantilly explodir acidentalmente.

Sifões de chantilly do tipo que matou blogueira francesa já tinham dado problema anteriormente Rebecca Burger.

Sifões da mesma marca do que explodiu e matou a blogueira francesa Rebecca Burger já tinham apresentado problemas anteriormente, de acordo com o site da revista "60 Millions de Consommateurs" (ou 60 Milhões de Consumidores, em tradução livre).

A blogueira de 33 anos, muito conhecida no mundo do exercício físico e dos esportes, morreu após o sifão de chantilly explodir acidentalmente enquanto ela o manuseava em sua casa, nos arredores de Mulhouse, no leste do país.

Enquanto a polícia apura as circunstâncias exatas do acidente, a revista conta que, entre 2009 e 2013, cerca de 15 marcas colocaram no mercado produtos com um erro de projeto: com o bico em plástico dos aparelhos é muito frágil para resistir à pressão. Por isso, ele pode explodir, ferindo o utilizador e eventualmente quem estiver ao redor.

Em 2013, o grupo F2J.com, que vendeu 160 mil sifões da marca Ard’Time (a mesma utilizada pela blogueira), lançou um recall dos equipamentos, que, na avaliação da revista, passou despercebido.

Após dois acidentes graves, em 2014, a rede Auchan lançou um apelo para os 50 mil consumidores portadores de cartões de fidelidade que tinham comprado sifões Ard’Time.

“Em quatro anos, registramos mais de 20 acidentes com os sifões Ard'Time e, em sete anos, 60 acidentes com diferentes marcas. Esses acidentes às vezes deixaram consequências muito graves: perda de um olho, dente, múltiplas fraturas no rosto e no peito. Esses números, porém, são provavelmente muito inferiores ao número real de acidentes”, afirmou a revista.

A revista afirma que um teste publicado em maio de 2015 mostra que os produtos vendidos atualmente são seguros. No entanto, ressalta que um distribuidor afirmou não comercializar esse tipo de aparelho ou os cartuchos com gás, porque eles representam um risco no caso de má utilização.

Fonte: g1.globo.com