Publicado em 3/07/2017 as 5:00pm

A partir de janeiro aeroportos de 9 estados americanos solicitarão passaporte para voos domésticos

Iniciativa visa reforçar a identificação dos passageiros, bem como a segurança dos aeroportos americanos.

A partir de janeiro aeroportos de 9 estados americanos solicitarão passaporte para voos domésticos Nova regra visa reforçar a segurança nos aeroportos

A partir de 22 de janeiro de 2018 os residentes em noves estados americanos precisaram do passaporte, para realizarem voos domésticos. Nas regras atuais para voos internos, basta os passageiros apresentarem a Driver’s License como forma de identificação, porém a partir de janeiro, o viajante também terá que apresentar um passaporte válido, lembrando que até o momento a obrigatoriedade do documento era somente feita para voos internacionais.

Começando no início do próximo ano, os residentes em nove estados: Kentucky, Maine, Minnesota, Missouri, Montana, Oklahoma, Pensilvânia, Carolina do Sul e Washington precisarão ter passaportes para fazer qualquer tipo de voo, seja internacional ou doméstico.

Para superar todos os pontos de controle de segurança, a medida é tomada pelo Transportation Security Administration – TSA.

Alguns estados começaram a trabalhar na oferta de IDs aprovados pelo governo federal que não exigiriam um passaporte para viagens aéreas domésticas.

Em 22 de janeiro de 2018, a execução desses nove estados entrará em vigor e, até 2020, ainda mais pessoas acabarão por precisar de um passaporte, conforme confirmado pelo site oficial da TSA.

Isso significa que, se você fizer um vôo e você tiver uma identificação estatal de um desses nove estados, você precisará de um passaporte para ir a qualquer lugar. Isso inclui ir ao próximo estado, em todo o país, ou mesmo para o Walt Disney World, já que todas as viagens domésticas estão incluídas nesses novos padrões.

De acordo com Travel.state.gov, alguns estados estão tentando fazer mudanças para tornarem-se compatíveis, mas se não forem em 22 de janeiro de 2018, será necessária uma identificação extra.

A partir de 22 de janeiro de 2018, os viajantes aéreos com identificação que não atendem aos requisitos REAL ID Act e cujo estado não possui extensão devem apresentar uma forma alternativa de identificação para embarcar em um voo doméstico. Exemplos de formas aceitáveis de identificação incluem identificação militar ou dependente dos EUA, cartões de viagem de confiança do DHS, identificação da companhia aérea ou aeroporto, cartão de passaporte ou cartão de passaporte ou identificação com foto tribal emitida pelo governo federal.

Fonte: Redação - Brazilian Times