Publicado em 14/09/2017 as 3:00pm

EUA: Tiroteio em escola no estado de Washington foi provocado por aluno

Estudante, que matou um e feriu três, foi detido; autoridades suspeitam de bullying.

EUA: Tiroteio em escola no estado de Washington foi provocado por aluno A escola de ensino médio Freeman, onde aconteceu o tiroteio desta quarta-feira - Nick Geranios - AP

Um estudante armado matou um de seus colegas e feriu outros três em seu colégio no Noroeste dos Estados Unidos, em um caso que as autoridades suspeitam ser relacionado a bullying. O tiroteio aconteceu na escola de ensino médio Freeman em Rockford, um povoado de 500 pessoas no condado de Spokane, no estado de Washington. O jovem, que foi detido, foi para a escola com duas armas, cujo calibre não foi especificado.

— Ele veio para a escola armado, entrou e tentou sacar suas armas. Neste momento, tentou disparar a primeira, que não funcionou — relatou o xerife da cidade, Ozzie Knezovich, numa entrevista coletiva. — Ele, então, pegou a segunda arma quando outro estudante o enfrentou. Esse aluno levou um tiro e não sobreviveu. Depois, o atirador disparou mais vezes pelo corredor, atingindo a outras três pessoas que estão no hospital.

Quando as autoridades chegaram, o atirador já estava desarmado. As autoridades não revelaram a identidade do aluno, que está preso num centro de detenção juvenil. O hospital Providence Sacred Heart informou que os três estudantes feridos foram atendidos e estão fora de perigo. Um deles precisa de uma cirurgia extra.

Alunos da escola Freeman são vistos no chão após disparos - Reprodução Twitter

Alguns estudantes estão sendo interrogados pela polícia. Michael Harper, de 15 anos, disse ao jornal "Spokeman Review" que era amigo do atirador:

— Ele amava a série "Breaking Bad". Ele era estranho, apesar de ser simpático e engraçado.

Outro aluno também afirmou à imprensa local que o conhecia:

— Ele disse a seus amigos que faria algo estúpido que poderia matá-lo ou levá-lo para a cadeia — disse um jovem que não se identificou. — Isso foi há umas duas semanas, quando as aulas começaram.

Knezovich indicou que as investigações estão em curso e pelo que pode ser adiantado, parece que foi um caso de bullying:

— É um evento isolado — insistiu o xerife, numa mensagem para tranquilizar a comunidade.
— Precisamos entender o que está acontecendo na nossa sociedade, onde estudantes sentem a necessidade de pegar uma arma para solucionar problemas que estão enfrentando.

Fonte: oglobo.globo.com