Publicado em 25/10/2017 as 4:00pm

Imigrantes indocumentados que estavam no tiroteio em Las Vegas buscam legalização

Eles aplicaram para o Visto U, que é concedido para vítimas de crimes que ajudam a polícia a solucionar um caso.

Imigrantes indocumentados que estavam no tiroteio em Las Vegas buscam legalização Alex acredita que pode ajudar a polícia (Foto: Joe Angel Juarez)

Vários imigrantes indocumentados que estavam no festival Route 91 Harvest, em Las Vegas (Nevada), quando um homem disparou contra a multidão, estão tentando transformar a tragédia em uma oportunidade.

Os imigrantes que trabalharam ou participaram do festival, estão se candidatando para o que se conhece como “U nonimmigrant visas”, o qual destina-se a fornecer proteção contra deportação de vítimas de crimes que compartilhem informações que possam ajudar a polícia. Estes vistos também poderia fornecer aos candidatos um caminho para a Cidadania se a polícia de Las Vegas ou um promotor assinar a solicitação.

Estes Vistos são mais, tipicamente, liberados para vítimas de violência doméstica ou agressão sexual, mas imigrantes indocumentados que estavam no festival quando Stephen Paddock abriu fogo contra a plateia, matando 58 pessoas e ferindo mais de 100, também podem ser elegíveis como vítimas de crimes. As informações são do diretor do diretor da UNLV Immigration Clinic, Michael Kagan.

Ele disse que uma pessoa não precisa saber onde está a arma ou de onde vieram os disparos para fornecer depoimentos como testemunhas para auxiliar a polícia. O simples compartilhamento de uma informação, por menor que seja, que ajude os investigadores já a qualifica para um Visto U.

Mas a história não dá respaldo para as afirmações de Kagan. Após os ataques do 11 de setembro, apenas três das 14 pessoas que compartilharam suas histórias sobre o incidente - e seu status de imigração ilegal - com os investigadores receberam a aprovação do Ministério Público Federal para se candidatarem a Visto U. O resto foi considerado inválido para a investigação policial, o que impediu que eles passassem com os pedidos para o visto.

Gadi Zohar, um advogado de imigração com sede em New York, disse que considera esses esforços para obter vistos um desvio da intenção original do programa, que foi criado para ajudar a polícia a perseguir criminosos em crimes de menor escala, como a violência doméstica. Com a criação do programa, estas vítimas ajudam na investigação, o que de outra forma, nunca se apresentariam por medo de deportação.

Ele ressalta que sempre que houver uma tragédia, haverá pessoas que vão querer se aproveitar.

Alex, um imigrante mexicano de 35 anos que vive ilegalmente nos Estados Unidos desde que atravessou a fronteira há quase 20 anos, é uma das dezenas de indocumentados que aplicaram para o Visto. Ele disse que estava sentado na barraca VIP no show, devido a um bilhete que lhe foi dado por um amigo, quando o tiroteio começou.

O imigrante lembra após os disparos, correu direto para Mandalay Bay e podia ver os flashes do tiroteio vindo do 32º andar. Ele se abrigando dentro do resort até as 4 da manhã. Alex, que falou na condição de que seu sobrenome não fosse usado por medo da deportação, disse que quer compartilhar sua história com a polícia porque ele sente que é seu dever cívico. "Estive em Las Vegas por quase 20 anos, então eu amo muito essa cidade", disse. "Se isso ajuda, bom. Se não, é um dever que eu tenho que fazer".

COMO FUNCIONA

Alex e outros candidatos enfrentam uma longa estrada antes que possam obter a autorização para iniciar o processo com pedido de legalização. Primeiro, eles devem ser entrevistados pela polícia e submetidos a uma avaliação psiquiátrica. O Visto é destinado para aqueles que sofreram crimes de abuso físico, mental ou angústia. "Na maioria das vezes, estamos procurando sintomas semelhantes ao transtorno de estresse pós-traumático ou transtorno de estresse agudo", disse Ana Olivares, uma psicóloga de Las Vegas.

Ela está trabalhando com o Deputado Edgar Flores (D-Las Vegas), para compilar os pedidos de Visto U após o tiroteio de 1º de outubro.

Olivares procura sinais de depressão ou mudanças de humor. A perda de interesse nas atividades diárias também é um sintoma de trauma. Ela cria um relatório baseado em sua avaliação. Às vezes, ela disse, não encontrará sintomas de angústia mental, caso em que cabe a um advogado decidir se o pedido vale a pena.

Com uma avaliação psiquiátrica mostrando trauma, a polícia deve assinar que o candidato forneceu valiosos testemunhos. Em seguida, o requerente deve pagar uma taxa de inscrição de US $ 930, exigida apenas para os que entraram ilegalmente nos EUA, e enviar o pedido para o escritório de Serviços de Cidadania e Imigração (USCIS, sigla em inglês) para aprovação.

Uma vez que um pedido é enviado, pode levar dois ou três anos para o USCIS emitir uma decisão.

Se for concedido, o visto U se estende ao cônjuge e aos filhos do peticionário, bem como aos pais e aos irmãos solteiros, com menos de 21 anos, dos peticionários.
Após três anos com um visto U, o imigrante pode solicitar um Green Card - e cinco anos depois, a Cidadania.

Pode ser difícil para as testemunhas do tiroteio de Las Vegas, disse Zohar, porque a polícia já conhece a identidade do atirador e acredita que ele atuou sozinho. "Eu não vejo como eles podem ser úteis nesta investigação", disse. "É um pouco complicado, porque Visto U requer que a pessoa afetada ajude a polícia a resolver o crime ou a resolver o mistério".

Fonte: Redação - Brazilian Times

Top News