Publicado em 3/11/2017 as 8:00am

Trump inicia processo para fim da “Loteria do Green Card” após atentado em NY

Terrorista que matou oito pessoas em atentado entrou no país através de programa que brasileiros não podem participar.

Trump inicia processo para fim da “Loteria do Green Card” após atentado em NY Paramédico verifica uma vítima do atropelamento seguido de tiros em Lower Manhattan.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou na quarta-feira (1º) que pedirá imediatamente ao Congresso que acabe com o Programa de Diversidade de Vistos, um sistema que sorteia 50 mil green cards anualmente para diversificar a população de imigrantes no território americano. O republicano toma esta medida logo após um atentado em New York, no qual um terrorista do Uzbequistão atropelou ciclistas e pedestres numa ciclovia de Manhattan, matando oito pessoas e ferindo outras 11.

O motorista da caminhonete usada, Sayfullo Habibullaevic Saipov, entrou no país há sete anos através deste mesmo programa, aquecendo a polêmica sobre esta política migratória. “Hoje nós lamentamos o terrível ataque terrorista em NY, a poucos quarteirões do local do World Trade Center”, disse Trump durante reunião de seu gabinete na Casa Branca. “Estou iniciando o processo para terminar o programa de loteria de diversidade. Vou pedir ao Congresso para iniciar imediatamente os trabalhos para acabar com esse programa”.

Mais cedo, o presidente criticara pelo seu Twitter o Programa de Diversidade de Vistos. São selecionados muitas vezes solicitantes de visto originários de países com baixos índices de imigração nos cinco anos anteriores. Além disso, criticou o líder democrata do Senado, Chuck Schumer, por apoiar este sistema, uma pauta democrata aprovada pelo Congresso há mais de 20 anos.

Trump em reunião com secretário de Estado, Rex Tillerson, à esquerda, e secretário de Defesa, Jim Mattis, à direita, um dia após o atentado.

"O terrorista veio ao nosso país através do que é chamado de 'Programa de Diversidade de Vistos', uma beleza de Chuck Schumer. Eu quero critérios de mérito", escreveu, antes de intensificar ainda mais as críticas: "'O Senador Chuck Schumer está ajudando a importar os problemas da Europa', disse o coronel Tony Shaffer. Vamos parar com esta loucura!"

Os ataques a Schumer também partem da extrema-direita americana, que acusa o democrata de NY de, sozinho, ser responsável pela entrada de Saipov nos EUA, onde o terrorista se radicalizou. O líder democrata teve um papel-chave na formulação do sistema de sorteio de visos em 1990, e suas propostas eventualmente se tornaram parte de um pacote mais amplo de políticas migratórias, sancionado pelo então presidente George H.W. Bush.

A comunidade uzbeque nos EUA é pequena, com algumas dezenas de milhares de membros, e, por isso, o Uzbequistão é um dos candidatos prioritários para o programa de sorteios. Em comparação, cerca de 2,4 milhões de imigrantes indianos, 2,7 milhões de chineses e mais de 11 milhões de mexicanos viviam no território americano em 2015.

“Sabe quem foi o apoiador? Chuck Schumer”, disse o apresentador de rádio conservador Mark Levin em entrevista à rede Fox News. “O Programa de Diversidade de Vistos deve ser cortado. O propósito da imigração, históricamente, é melhorar e beneficiar os Estados Unidos, e não garantir a diversidade dos estrangeiros que vem a este país ou garantir que determinados países sejam bem representados”.

O terrorista uzbeque Sayfullo Habibullaevic Saipov atropelou ciclistas e pedestres numa ciclovia de Manhattan na tarde de terça-feira. Em seguida, saiu da caminhonete que dirigia com duas armas falsas. Foi ferido a tiro por um policial e preso no local. Testemunhas relataram que a caminhonete avançou por até 20 quadras no sentido contrário ao da ciclovia adjacente à West Side Highway, na região de Battery Park (zona sul da ilha), ferindo quem passava no local. De acordo com a polícia, o suspeito gritou 'Deus é grande' em árabe na hora do ataque. O veículo aparentemente pertencia a uma loja de produtos residenciais.

Fonte: Redação - Brazilian Times