Publicado em 5/11/2017 as 2:00pm

Arquivos de Bin Laden têm filmes infantis, gatos e crítica ao Ocidente

Conteúdo estava entre os 470 mil arquivos revelados pela Agência Central de Inteligência dos EUA.

Dá para imaginar que o terrorista Osama bin Laden assistia a filmes infantis, como "Carros" e "Formiguinhaz", ou ainda fazia crochê com vídeo postado por uma brasileira? Agora dá.

Isso porque a CIA (Agência Central de Inteligência dos EUA) acaba de divulgar ao público 470 mil arquivos adicionais que foram coletados na invasão de maio de 2011 na mansão em que estava Osama bin Laden, em Abbottabad, no Paquistão. O terrorista foi morto na ação.

"A divulgação de hoje das cartas, vídeos, arquivos de áudio e outros materiais coletados da Al Qaeda oferece a oportunidade para o povo americano obter mais informações sobre os planos e o funcionamento desta organização terrorista", disse o diretor da CIA, Mike Pompeo. "A CIA continuará buscando oportunidades para compartilhar informações com o povo americano de acordo com nossa obrigação de proteger a segurança nacional".

Esse material integra os pacotes de arquivos divulgados em 20 de maio de 2015, 1º de março de 2016 e 19 de janeiro de 2017 e atende a Lei de Autorização de Inteligência de 2014.

Aproximadamente 79 mil arquivos referem-se a áudio e imagem, que incluem desde discursos políticos e ensaios até imagens reunidas pela Al Qaeda para uma variedade de propósitos.

Outros 10 mil arquivos são vídeos, que, além dos filmes infantis e aulas de crochê, reúnem esboços de vídeos ou declarações de Bin Laden e propaganda jihadista. Há ainda vídeos populares na internet, com bebês e gatos, de documentários sobre o próprio Bin Laden.

Esses materiais revelam informam sobre as origens das fissuras que existem entre a Al Qaeda e o Estado Islâmico, como divergências estratégicas, doutrinas religiosas e dificuldade de articulação da Al Qaeda e de seus aliados quando da morte do Osama bin Laden.

Há ainda imagens que mostram pela primeira vez Hamza bin Laden adulto. Filho de Osama, ele é considerado o herdeiro do pai. A maior parte do material está em árabe e só sofreu modificação de forma a impedir edições no original.

Entre os 18 mil arquivos de textos, uma das grandes descobertas foi o diário de Osama e documentos em que versa sobre a comemoração dos dez anos do atentado às Torres Gêmeas e os esforços da Al Qaeda para mudar visão negativa perante o mundo e os muçulmanos.

Os novos arquivos divulgados estão no site da CIA, que também disponibiliza o material lançando anteriormente.

Fonte: noticiasaominuto.com.br / Folhapress

Top News