Publicado em 12/12/2017 as 5:00pm

O que se sabe sobre o suspeito de tentativa de ataque em Nova York

O suspeito de tentar bombardear o principal terminal de ônibus da cidade de Nova York tem 27...

O que se sabe sobre o suspeito de tentativa de ataque em Nova York BBC Akayed Ullah chegou aos EUA com a família em 2011 - Foto CBS

O suspeito de tentar bombardear o principal terminal de ônibus da cidade de Nova York tem 27 anos e é um imigrante de Bangladesh, segundo o comissário de polícia de Nova York James O'Neill.

Akayed Ullah é apontado como o responsável por detonar um explosivo caseiro perto do terminal da Port Authority nesta segunda-feira, na hora do rush. Ele ficou gravemente ferido e feriu levemente outras três pessoas.

O prefeito da cidade, Bill de Blasio, chamou o episódio de "uma tentativa de ataque terrorista".

Segundo O'Neill, Ullah estava vestindo um "dispositivo explosivo improvisado e de baixa tecnologia acoplado ao seu corpo", que foi detonado intencionalmente. As autoridades afirmam que ele agiu sozinho.

Ullah sofreu queimaduras e outros ferimentos e foi levado para o Hospital Bellevue.

Inspiração no Estado Islâmico

Ullah deixou Bangladesh rumo aos Estados Unidos com seus pais e irmãos em fevereiro de 2011 com um visto de imigração, segundo a rede de televisão americana CBS News.

Posteriormente, ele obteve o direito à residência permanente nos EUA - vivendo no bairro do Brooklyn, em Nova York. Segundo autoridades de Bangladesh, a sua última visita ao país foi em 8 de setembro.

Funcionários do governo americano disseram à agência de notícias Associated Press que Ullah se inspirava no grupo autodenominado Estado Islâmico, mas acredita-se que ele não tinha contato direto com o grupo.

O'Neill disse que Ullah "fez declarações (no momento da explosão), mas não vamos falar sobre isso agora".

Uma comissão que representa taxistas e motoristas de limusines em Nova York afirmou que ele teve uma licença como taxista de março de 2012 a março de 2015.
Segundo o inspetor geral de polícia bengali, AKM Shahidul Haque, Ullah não tinha antecedentes criminais em Bangladesh.

Fonte: BBC Brasil

Top News