Publicado em 27/12/2017 as 1:00pm

Casa Branca nega que Trump chamou haitianos de aidéticos

A secretária de imprensa da Casa Branca, Sarah Sanders, disse no sábado (23) que altos...

A secretária de imprensa da Casa Branca, Sarah Sanders, disse no sábado (23) que altos funcionários da administração negam um relatório divulgado pelo New York Times onde afirma que o presidente Dondal Trump disse que “todos os imigrantes haitianos têm AIDS" e que os Nigerianos não querem voltar às suas "cabanas".

"O Chefe de Gabinete John Kelly, o Procurador HR McMaster, o secretário Rex Tillerson, o secretário Kirstjen Nielsen e todos os outros funcionários do alto escalão negam essas acusações ultrajantes e estão tristes, dizendo que o New York Times imprime as mentiras de suas fontes anônimas de qualquer maneira", disse Sanders à CBS News.

The Times informou que o presidente, em junho, entrando em uma reunião com altos funcionários da administração depois de se encontrar com o assessor de políticas Stephen Miller, fez comentários sobre pessoas que vieram de países como o Haiti e a Nigéria.

O presidente, seis funcionários que participaram ou foram informados sobre a reunião disseram ao The Times, que discutiram um documento que listava quantos imigrantes receberam vistos para entrar nos EUA em 2017.

Trump reclamou dos mais de 2.500 que vieram do Afeganistão, que o presidente teria descrito como um paraíso terrorista. O Haiti enviou 15 mil pessoas e segundo a denúncia feita pelo The Times, o presidente ter4ia dito que "todos têm AIDS". A acusação foi feita com base em uma pessoa que participou da reunião e outra que foi informada sobre o evento.

O jornal informou, ainda, que o presidente também reclamou sobre as 40 mil pessoas da Nigéria, dizendo que elas nunca "voltariam para suas cabanas" na África depois de estarem nos EUA.

A Casa Branca insistiu que o presidente não usou as palavras "AIDS" ou "cabanas" nesta reunião.

De acordo com o relatório do NY Times, Kelly e Miller ficaram frustrados com Tillerson, culpando o secretário de Estado pelo fluxo de pessoas do exterior.

Trump usou o aumento da imigração como uma plataforma-chave de sua campanha presidencial.

Fonte: Redação - Brazilian Times

Top News