Publicado em 23/01/2018 as 2:00pm

Abaixo-assinado pede segurança em local onde estudante foi atropelada no Canadá

Mãe de Fernanda Girotto, de 14 anos, fez post no Facebook pedindo assinaturas online. Família ainda aguarda liberação do corpo para voltar ao Brasil e fazer enterro.

Abaixo-assinado pede segurança em local onde estudante foi atropelada no Canadá Local onde estudante de Araraquara foi atropelada na quarta, no Canadá (Foto CTV News Vancouver)

Um abaixo-assinado online está pedindo mais segurança no local onde a estudante de Araraquara (SP) Fernanda Girotto, de 14 anos, morreu atropelada na última quarta-feira (17), em Burnaby, na região metropolitana de Vancouver, no Canadá.

O corpo da adolescente deve passar por nova autópsia nesta segunda-feira (22), segundo familiares. Ainda não há previsão para liberação para velório e enterro no Brasil.

Abaixo-assinado

A mãe de Fernanda, Rosana Nascimento Girotto, postou o link no Facebook pedindo a colaboração de seus amigos e conhecidos na petição.

“(...) minha filha Fernanda de apenas 14 anos, que saiu do Brasil cheia de vida, alegria e sonhos para realizar um intercâmbio no Canadá e foi atropelada e morta, para que possa ser evitado que outras vidas sejam levadas tão tragicamente e outras famílias passem pela dor tão profunda que estamos passando... Peço encarecidamente a todos que assinem e compartilhem esse abaixo-assinado”, postou Rosana.

A iniciativa foi de Sarah-Kate Salmon, membro de uma igreja que recebe cerca de 600 pessoas por semana e que fica ao lado cruzamento onde aconteceu o acidente, na Cariboo Road.

A petição criada no site Change.org convida a cidade a tomar medidas para proteger as pessoas que têm medo de usar a faixa de pedestres toda semana para poder chegar a um ponto de ônibus.

Abaixo-assinado pede mudanças em trecho de rodovia no Canadá (Foto Reprodução)

Ela cita ainda outra igreja próxima e uma associação que também recebem mais de 800 pessoas. Todas já fizeram várias tentativas junto ao departamento de engenharia da cidade de Burnaby para colocar algo para melhorar a segurança.

"Existem centenas de usuários de ônibus, crianças, adolescentes, idosos, corredores, ciclistas e adultos em risco. Eu pessoalmente quase fui atingida um punhado de vezes, e nunca me sinto segura, cruzando a rua do ponto de ônibus. Isso precisa mudar - e é simples", escreveu Sarah-Kate.

Um dia após a morte de Fernanda, um ciclista foi atropelado no mesmo local, mas passa bem.

A petição pede avisos luminosos para a diminuição da velocidade, marcadores digitais de velocidade dos carros e câmeras. Até a publicação desta reportagem, 6,3 mil pessoas haviam assinado a petição. O objetivo é chegar a 7,5 mil assinaturas.

Moradores pedem providências há muito tempo

O cruzamento onde Fernanda foi atropelada é mal iluminado e os carros passam em alta velocidade, segundo informações de moradores das proximidades ouvidos pela CTV News Vancouver. A adolescente foi atingida por volta das 7h, horário local, quando ainda estava escuro. Ela também vestia roupas escuras.

“É uma via de acesso a uma rodovia e tem uma curva. Os carros vêm em alta velocidade e visibilidade e mínima”, explicou o brasileiro Vinícius Dantas, que mora em Vancouver há três anos e já trabalhou nas proximidades da faixa de pedestres onde aconteceu o acidente.

O local tem sido cenário de muitos acidentes e, de acordo com os moradores, há anos eles pedem para que a cidade coloque mais luzes o cruzamento.

A administração da cidade disse ao canal de TV que está estudando formas de tornar o local mais seguro, incluindo mudanças em uma interseção próxima que forçaria os motoristas a reduzir a velocidade à medida que se aproximam do cruzamento onde aconteceu o atropelamento de Fernanda.

Segundo o noticiário, os moradores ergueram um memorial próximo ao local onde Fernanda foi atropelada, onde deixaram flores e velas.

Estudante de Araraquara morreu atropelada no Canadá (Foto Reprodução Facebook)

Família aguarda liberação do corpo

A família de Fernanda – mãe, pai e irmã – ainda estão no Canadá aguardando a liberação do corpo. As autoridades canadenses querem fazer nova autópsia, devido à repercussão que o caso está tendo na cidade.

Segundo um familiar, quando o corpo de Fernanda for liberado, deve ocorrer um velório em Araraquara, onde ela morava, mas ela deve ser enterrada no Cemitério Municipal de Santa Rita do Passa Quatro (SP), cidade onde vivem as famílias do pai e da mãe. Ainda não há data prevista para as cerimônias.

Fernanda morreu na quarta-feira, atingida por um veículo norte-americano enquanto atravessava um cruzamento na estrada Cariboo, para tomar o ônibus no ponto do outro lado da via.

As causas do acidente ainda estão sendo apuradas, mas motorista envolvido permaneceu no local e cooperou com a polícia.

A área foi fechada por várias horas enquanto os oficiais reuniam provas e limpavam os destroços da estrada. Os investigadores voltaram à cena na quinta-feira para tirar mais fotos.

Fonte: Por G1 São Carlos e Araraquara