Publicado em 30/01/2018 as 12:00pm

Trump diz que abordará comércio e imigração em seu primeiro discurso do Estado da União

Discurso está marcado para começar às 21h10 locais desta terça (0h10 de quarta-feira em Brasília).

Trump diz que abordará comércio e imigração em seu primeiro discurso do Estado da União Imagem de arquivo mostra o presidente americano Donald Trump discursando em sessao conjunta no Congresso dos EUA (Foto REUTERS-Jim Bourg)

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta segunda-feira (29) que abordará a proposta de revisão da imigração em seu primeiro discurso do Estado da União, que será realizado nesta terça-feira no Congresso americano, e buscará apoio dos democratas para isso.

O discurso está marcado para começar às 21h10 locais desta terça (0h10 de quarta-feira em Brasília).

"Espero que (o discurso) seja bom, trabalhamos muito duro nele", disse Trump aos jornalistas, após cerimônia de juramento do novo secretário de Saúde e Serviços Humanos, Alex Azar. "É um grande discurso, um discurso importante, falaremos sobre imigração. Durante muitos, muitos anos, os políticos falaram sobre imigração e nunca conseguiram nada", ressaltou o presidente.

Trump afirmou que sua revisão de imigração terá que ser bipartidária "porque os republicanos realmente não têm os votos para fazê-lo de qualquer outra forma".

"Esperamos que os democratas se unam a nós, ou que alguns deles se unam, para que possamos fazer algo grande quanto ao Daca (programa de Ação Diferida para os Chegados na Infância) e à imigração", indicou Trump. O programa será encerrado em março, por ordem de Trump.

O presidente propôs na semana passada uma reforma migratória que permitiria que 1,8 milhão de imigrantes sem documentos que chegaram aos EUA como crianças tivessem acesso à cidadania americana. Em troca, quer US$ 25 bilhões para construir o muro na fronteira com o México.

No entanto, a proposta recebeu uma resposta fria entre os democratas. Não está claro se as partes chegarão a um acordo antes de 8 de fevereiro, quando expira o orçamento provisório do governo.

Trump também disse que o discurso irá abranger seus esforços para reduzir as barreiras comerciais em todo o mundo para as exportações norte-americanas. "Temos de ter um comércio recíproco. Não é mais um acordo de uma mão", disse.

A expectativa é que o presidente também fale sobre sua proposta de investimento em infraestruturas e sobre alguns dos desafios internacionais enfrentados pelo país.

Resposta dos democratas

O deputado democrata Joe Kennedy III, sobrinho-neto do ex-presidente John F. Kennedy, em imagem de arquivo (Foto AP Photo-Jacquelyn Martin, File)

Joseph Kennedy III, neto de Robert Kennedy e sobrinho-neto do ex-presidente dos Estados Unidos John F. Kennedy, vai fazer o pronunciamento de resposta dos democratas ao discurso anual sobre o estado da União.

O deputado representa uma circunscrição de Massachusetts na Câmara de Representantes desde 2013, e é o último Kennedy a defender os democratas. Representar o partido na "resposta" é considerada uma grande honra, e costuma ficar a cargo de uma estrela em ascensão.

O pronunciamento televisionado, emitido imediatamente após o discurso do presidente diante das duas câmaras reunidas no Congresso, servirá para os democratas impulsionarem suas principais reivindicações políticas, como a imigração, os direitos civis - especialmente dos transexuais -, a saúde e a diversidade.

Joe Kennedy, formado em Stanford e na Escola de Direito de Harvard, ganhou fama de ser um democrata progressista após sua eleição, principalmente por suas reivindicações pela cobertura médica, como fez seu tio-avô Ted Kennedy, ou pela luta contra o racismo.

O deputado propôs que a sargento transgênero do exército americano, Patricia King, assista ao discurso presidencial da tribuna de convidados.

Fonte: g1.globo.com