Publicado em 2/02/2018 as 5:00pm

Estados Unidos estendem TPS para a Síria por mais 18 meses

O governo dos Estados Unidos anunciou, nesta quarta-feira, a extensão por mais 18 meses do...

Estados Unidos estendem TPS para a Síria por mais 18 meses Imigrantes sírios ganharam mais 18 meses para ficar no país.

O governo dos Estados Unidos anunciou, nesta quarta-feira, a extensão por mais 18 meses do Status de Proteção Temporária (TPS) para a Síria, que ampara cerca de 6,9 mil imigrantes, devido à "persistência" do conflito armado naquele país.

Deste modo, o TPS para a Síria fica estendido até o dia 30 de setembro de 2019, segundo um comunicado do Departamento de Segurança Nacional (DHS), responsável pela decisão. A secretária de Segurança Nacional, Kirstjen Nielsen, "determinou que a persistência do conflito armado e as condições extraordinárias que justificaram a designação da Síria para um TPS seguem existindo".

Kirstjen devia anunciar hoje sua decisão sobre o futuro do TPS para a Síria, pois a permissão expirava o próximo dia 31 de março e, por lei, o Governo deve comunicar qualquer mudança migratória com uma antecedência de 60 dias.

O TPS é um programa de migração criado em 1990 com o qual os Estados Unidos concedem permissões de forma extraordinária aos nacionais de países afetados por conflitos armados ou desastres naturais.

Durante décadas, os Estados Unidos renovaram de maneira automática por períodos de 18 meses o TPS, mas o governo de Donald Trump decidiu reavaliar as condições que justificavam a concessão do programa país por país. Nos últimos meses, Trump decidiu acabar com o TPS para El Salvador, Haiti e Nicarágua, que beneficiou cerca de 325 mil imigrantes, a quem o governo deu margem até 2019 para deixar o país. Por outro lado, Trump considerou pertinente estender o TPS para Honduras, que recebe cerca de 86 mil imigrantes, durante seis meses, até o dia 5 de julho deste ano, quando ele vai rever sua validade.

Os EUA concederam o TPS para a Síria em março de 2012, um ano após o início do conflito armado interno e antes da irrupção do Estado Islâmico (EI). Quando o governo de Barack Obama estendeu pela última vez o TPS para a Síria em 2016, justificou que "exigir o retorno desses nacionais ao seu país de origem representaria uma grave ameaça para sua segurança pessoal".

Trump manteve uma política hostil em relação aos imigrantes sírios, pois durante a campanha eleitoral de 2016, disse que alguns poderiam ser na realidade terroristas. Quando chegou ao poder, Donald Trump quis proibir permanentemente a entrada nos EUA de refugiados sírios com o seu veto migratório, bloqueado nos tribunais.

Fonte: Redação - Brazilian Times

Top News