Publicado em 20/02/2018 as 8:00am

Estudantes se deitam em frente à Casa Branca pelo controle de armas

Jovens ficaram imóveis no solo para representar as vítimas dos tiroteios ocorridos em escolas e centros educativos americanos.

Estudantes se deitam em frente à Casa Branca pelo controle de armas (Reuters)

Na sequência do último tiroteio ocorrido na Flórida, nos Estados Unidos, um grupo de estudantes resolveu protestar em frente à Casa Branca como forma de pedir ao presidente Donald Trump e ao Congresso um maior controle de armas no país.

A mobilização teria sido organizada através de um grupo no Facebook, "Adolescentes a favor de uma reforma das armas", criado para debater a reforma nas leis de acesso a armamentos.

De acordo com a agência EFE os jovens ficaram imóveis no solo para representar as vítimas dos tiroteios ocorridos nos últimos anos, em escolas e centros educativos americanos.

"Queremos enviar uma mensagem aos políticos, dizer-lhes que têm que fazer algo perante isto, que é sua responsabilidade, porque eles dão voz ao povo e nós somos o povo", declarou Eleanor Nuechterlein, uma das organizadoras do protesto, à emissora de tv local "WUSA9", em trecho reproduzido pela EFE.

O objetivo inicial do grupo criado no Facebook era formar uma turma de 17 pessoas, no qual cada uma representasse uma vítima mortal do tiroteio na Flórida. após publicar a convocação virtual, cerca de 120 pessoas. Após a convocação na rede social, 120 pessoas manifestaram interesse em participar do ato em frente à residência presidencial americana.

Os manifestantes devem voltar a se reunir em uma mobilização maior, marcada para 24 de março, em Washington, organizada por alunos da escola onde aconteceu o tiroteio.

O presidente Donald Trump não esteve presente no momento do protesto na Casa Branca, já que se encontrava em seu clube privado de Mar-a-Lago, onde passava o feriadão.

Fonte: noticiasaominuto.com.br