Publicado em 9/08/2018 as 7:23am

Incêndio florestal ruma para o sul de Portugal e ameaça cidades turísticas

Fogo começou há cinco dias em florestas de eucaliptos e pinheiros nas colinas, mas agora segue para o litoral. Cerca de 30 pessoas foram tratadas por inalação de fumaça e queimaduras, mas não há mortos; incêndio em 2017 matou 144 pessoas no país.

Incêndio florestal ruma para o sul de Portugal e ameaça cidades turísticas Casa queimada após incêndio perto da vila de Monchique, em Portugal, na segunda-feira (6) (Foto: Reuters/Rafael Marchante)

O governo de Portugal transferiu o comando dos serviços de emergência que combatem um grande incêndio no Algarve, região do sul do país, para a esfera federal nesta terça-feira (7), quando o fogo rumou para o sul na direção de cidades turísticas litorâneas populares.

O incêndio começou em florestas de eucaliptos e pinheiros nas colinas, mas agora segue firme para o litoral, onde milhares de turistas estrangeiros e locais passam férias todos os anos.

A fumaça estava engrossando na costa e as chamas se aproximando da cidade de Silves, 10 quilômetros território adentro, onde um morador disse que estava "nevando cinzas".

O incêndio irrompeu cinco dias atrás, durante uma onda de calor extremo, e rendeu críticas às autoridades, apesar dos esforços destas para evitar uma repetição do maior incêndio florestal de Portugal, que matou 114 pessoas no ano passado.

Bombeiros ajudam a controlar incêndio florestal perto da vila de Monchique, em Portugal, na segunda-feira (6) (Foto: Reuters/Rafael Marchante)

Neste ano não houve nenhuma morte, já que as autoridades esvaziaram vilarejos no caminho do fogo. Cerca de 30 pessoas foram tratadas por inalação de fumaça e queimaduras.

"Decidimos passar a coordenação da operação para o nível nacional, administrado diretamente pelo comandante nacional e sua equipe", anunciou o ministro do Interior, Eduardo Cabrita, depois de uma reunião de emergência do Serviço de Proteção Civil.

"Isso nos permitirá reforçar a mobilização de recursos".

Até a tarde desta terça-feira mais 100 bombeiros haviam sido convocados, elevando o total para 1.320. Há 420 caminhões dos bombeiros e 17 aeronaves envolvidos no esforço.

"Está nevando cinzas e o céu está amarelado. A cena parece saída direto de um filme de ficção científica, porque esta cor não é normal", disse Nuno Sarsfield Magalhães, de 43 anos, dono de uma empresa de agronegócio em Silves.

Fonte: Por Reuters

Top News