Publicado em 30/07/2014 as 12:00am

Tornado em Revere (MA) apavora brasileiros

É a primeira vez em 64 anos que a cidade é atingida por tornado. Fenômeno derrubou árvores e fiação elétrica, mas não deixou feridos graves

A cidade de Revere (Massachusetts) foi atingida por um tornado na segunda-feira (28). A força deste fenômeno derrubou dezenas de árvores, cortou a fiação elétrica e inundando algumas ruas. As autoridades informaram que mesmo diante da força dos ventos, não houve feridos graves. Esta é a primeira fez em 64 anos que a cidade é atingida por um tornado, conforme o Serviço Nacional de Clima.

Nesta região moram centenas de brasileiros e alguns deles presenciaram, com muito medo, a força da natureza e a destruição que ela causa.

A empresária mineira Glenda Almeida, estava indo ao dentista quando foi surpreendida pela forte chuva e os ventos avassaladores. Segundo ela, era por volta de 9:30 a.m. quando passava próximo ao cinema de Revere, na Rota 01.

Ela, que é natural de Belo Horizonte, conta que sentiu muito medo e pavor, pois jamais tinha presenciado algo parecido. “Eu apenas orava e pedia a proteção de Deus”, disse ressaltando que o tornado durou 30 minutos exatos e que os ventos tinham velocidade de 20 km por hora. “Em um dado momento a força do vento que a água da chuva entrou no carro, mesmo com os vidros fechados”, se emociona ao lembrar.

Glenda estava acompanhada de sua irmã, Suelyu de Deus e ambas passaram por um momento único. “Nunca tínhamos visto isso e nossa única ação era pedir proteção divina”, conclui. Ela também postou um vídeo em sua página pessoa no facebook sobre o que aconteceu.

Outra que ficou no meio do tornado foi a empresária Sue O´brien, que tem uma empresa na cidade. Ela conta que a chuva começou por volta de 9:00 a.m. e que a velocidade dos ventos aumentaram 15 minutos depois. “Nós vimos fios de eletricidades sendo rompidos, faíscas de fogo, parecia que eu estava no meio de um filme de terror”, conta.

Sue estava em sua residência, que fica a dois minutos da Broadway, região que foi bastante atingida pelo tornado. “Eu via em volta prédios e casas danificadas pela força do vento e das águas”, continua. “Eu senti muito medo, parecia um Apocalipse. Quando saímos de casa, vimos carros com as rodas para cima, árvores arrancadas do solo, fios de eletricidade para todos os lados e sinas de trânsito caídos”, conclui.

A radialista Fabiana Miranda estava em uma consulta médica na altura do número 317 da Broadway quando tudo começou. Ela conta que os celulares de todos soarem um sinal de alerta e que em seguida ouvir barulho no teto e viu pela janela a forte chuva. “Quando eu olhei para fora percebi que algo estava errado, pois eram de manhã e o céu escureceu de repetente e parecia noite”, disse.

Logo depois, segundo ela relata, os alarmes dos prédios e residências dispararam juntos, ”causando um barulho ensurdecedor”. Fabiana relata que viu uma cena que parecia guerra. “Pessoas gritando e chorando, correndo assustadas, carros atravessados na pista ou com as rodas para cima, árvores derrubadas e muito desespero”, continua.

A radialista ressalta que se sentiu acuada, pois não tinha o que fazer e não sabia como se proteger. “As pessoas se olhavam e não entendiam direito o que estava acontecendo”, explica ressaltando que os policiais pediam para as pessoas se afastarem das janelas de vidro e das paredes, pois tudo estava quebrando. “Eu vi pessoas se cortarem com os estilhaços e muitas crianças chorando com medo”, continua.

Uma das coisas que mais a deixou assustada foi quando viu um dumpster ser levantada e jogado na rua. “O peso daquilo é enorme, então imagina a força do vento”, conclui.

Fonte: Redação Brazilian Times / Texto de Luciano Sodré

Top News