Publicado em 9/02/2015 as 12:00am

Após chuvas, reservatório do RJ sai do volume morto

O volume útil do reservatório Paraibuna, da Cesp, chegou a zero no dia 21 de janeiro, quando a hidrelétrica de mesmo nome foi desligada. No último domingo, atingiu os 0,08% de sua capacidade.

O reservatório Paraibuna, a maior das quatro represas do rio Paraíba do Sul que abastece com água a região metropolitana do Rio de Janeiro, saiu do volume morto no domingo (8), segundo dados divulgados nesta segunda-feira (9) pela ANA (Agência Nacional de Águas).

O volume útil do reservatório Paraibuna, da Cesp, chegou a zero no dia 21 de janeiro, quando a hidrelétrica de mesmo nome foi desligada. No último domingo, atingiu os 0,08% de sua capacidade.

As outras três represas de hidrelétricas do Paraíba do Sul também mostram níveis críticos: Santa Branca, da Light, está no volume morto, em -3,87%; Funil, de Furnas, mostra patamar de 13,05%; e Jaguari, da Cesp, está com 3,19%.

Chuvas

A última semana teve chuvas diariamente no Rio de Janeiro. Na quinta-feira (5), o prefeito Eduardo Paes (PMDB) chegou a pedir que os cariocas ficassem atentos, pois as chuvas esperadas para o fim do dia poderiam ser tão intensas quanto as de abril de 2011, quando um deslizamento no morro do Bumba, em Niterói, matou 267 pessoas.Ao contrário da previsão de temporal, com rajadas de ventos e descargas elétricas, as precipitações foram apenas moderadas.

O prefeito afirmou que vai continuar fazendo esse tipo de procedimento em caso de previsão de temporais.

Vazamentos

Segundo levantamento feito pelo UOL, a água desperdiçada ao longo de 2013 com vazamentos e ligações clandestinas no Estado do Rio seria o suficiente para abastecer a capital fluminense durante mais de seis meses. A base de dados é o Snis (Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento).

Em 2013, a Cedae tratou cerca de 1,35 trilhão de litros de água. De acordo com o relatório publicado pelo Snis em dezembro, desse total, 30,8% não foram oficialmente consumidos, o que corresponde a mais de 411 bilhões de litros de água perdidos.

Essa quantidade seria suficiente para abastecer a cidade do Rio de Janeiro durante seis meses e aproximadamente 14 dias. O consumo médio mensal de água na capital é de 63,4 bilhões de litros --cada carioca consome cerca de 329,78 litros de água por dia, o triplo do recomendado pela ONU (Organização das Nações Unidas).

Fonte: uol.com.br