Publicado em 21/02/2012 as 12:00am

Brasileiro pega prisão perpétua por assassinar ex-namorada

Alfredo Oliveira, 40 anos, foi condenado por matar a menor de idade Jackline De Melo, com 32 facadas

Um brasileiro de Deerfield Beach, na Flórida, foi sentenciado à prisão perpétua na sexta-feira(17), por matar brutalmente a ex-namorada Jackline De Melo a facadas em 2006, após ela se negar a reatar o relacionamento. Alfredo Oliveira, 40 anos, recebeu a sentença visivelmente abalado pelo julgamento, com a cabeça abaixada durante boa parte da audiência.

A brasileira Jackline De Melo foi esfaqueada 32 vezes por Alfredo, segundo dados da investigação do caso, liderada pelo promotor Alberto Ribas. Foi provado que 10 das facadas foram realizadas durante tentativas de defesa da jovem, demonstrando que ela tentou se defender dos golpes.

Durante o julgamento final, a irmã da vítima sentou no banco de testemunhas e pediu para o juiz mostrar a mesma compaixão pelo acusado, que o mesmo mostrou ao matar a sua irmã. Nem mesmo nesse momento, Alfredo demonstrou remorso pelo crime. “Nem mesmo nos piores pesadelos, nós podíamos imaginar estar nesse tribunal a poucos metros do covarde que tirou a vida da minha irmã” afirmou Aline de Melo, a única familiar da vítima a falar durante o julgamento. “Ele poderia pelo menos ter a decência de levantar a sua cabeça e nos olhar nos olhos. Ele é um covarde” completou, segundo o site Sun Sentinel.

No dia 31 de janeiro, Alfredo afirmou ser culpado pelo crime, esperando ser julgado em segundo grau. A defesa do caso tentou mostrá-lo como um cristão que não soube lidar com o fim do relacionamento e as agressões verbais da ex-namorada, que chegou a chamá-lo de homossexual. “Sabemos que não há desculpas para o que ele fez. Ele perdeu o controle e cometeu um crime horrível” afirmou o advogado de defesa, George Reres.

O advogado argumentou que Alfredo agiu com benevolência ao receber a jovem em sua casa, após ela fugir da casa dos pais, em Boca Raton. Com 16 anos na época que se conheceram, a jovem supostamente disse a ele que seria mais velha, e maior de idade. Segundo Reres, o seu cliente não sabia da verdade até pouco antes do crime ocorrer.

No dia da morte de Jackline, o acusado teria dirigido a vítima até a casa de um amigo da jovem, disseram os advogados de ambos os lados. Ele teria voltado depois ao local e olhado pela janela a vítima com um homem dentro da casa. Durante a volta para a casa, o casal discutiu por conta do flagrante e a vítima afirmou que eles não teriam mais um relacionamento. A discussão culminou no crime, que horrorizou a comunidade brasileira do local, pela crueldade.

Do lado do tribunal, o pai da vítima, Joaquim Melo, disse estar satisfeito com a sentença de prisão perpétua para o brasileiro. “ Ele teve o que mereceu. Eu espero que ele apodreça na cadeia” afirmou Joaquim.

Fonte: (DA REDAÇÃO)

Top News