Publicado em 4/03/2012 as 12:00am

Brasileiro viaja para os EUA para transar com criança e é preso pelo FBI

O carioca Paulo dos Santos viajou do Brasil ao Colorado, nos EUA, com intuito de fazer sexo com uma menina de 4 anos e outra de 14. Ele ainda afirmou que gosta de transar com bebês

O brasileiro Paulo dos Santos Silva foi preso no aeroporto Grand Juction, no Colorado, por estar sob suspeita de ter ido ao estado para se envolver em atos sexuais com menores. A prisão aconteceu no final de fevereiro e na quinta-feira (1º) ele compareceu à sua primeira audiência.

A prisão aconteceu depois que um agente federal disfarçou-se como uma mulher chamada Genny, e através da internet, apresentou-se como mãe de duas meninas (uma de 4 e outra de 14 anos de idade). Segundo o investigador, desde dezembro ele vem mantendo uma conversa com o brasileiro, que viajou do Rio de Janeiro para o Colorado com intuitos de fazer sexo com a mãe e as duas filhas.

Na conversa, o carioca falou que apesar de morar no Brasil, estaria disposto a voar para os Estados Unidos e “brincar” com as meninas. A suposta mãe disse ao brasileiro que ficou surpresa com o fato de que ele teria coragem de transar com uma menina de quatro anos. E foi então que veio a resposta por parte do acusado: “eu não estou falando apenas de sexo, mas ela precisa aprender como agradar um homem”.

A divulgação desta conversa deixou a comunidade abalada com as frases proferidas pelo brasileiro em relação ao que ele pensa sobre fazer sexo com uma menor. O carioca ainda afirma que “gosta de ensinar uma menina a fazer sexo desde o seu nascimento”. O agente pergunta-lhe: “desde que ela nasce”. O brasileiro responde: “Sim. Alimentando-se do leite do papai dela”.

Entre elas frases, existem outras piores, quando o brasileiro relata sobre fazer sexo com a menina. Em sua primeira audiência, o juiz determinou que ele ficasse detido, sem direito a fiança, em uma prisão do Condado de Condado de Mesa. Ainda não foi definida a próxima data quando ele deverá retornar à Côrte.

Fonte: (Texto por Luciano Sodré)