Publicado em 15/04/2012 as 12:00am

Brasileiro sofre ameaça de morte em Everett (MA)

Brasileiro sofre ameaça de morte em Everett (MA)

No dia 23 de maio de 2011, o então vereador da cidade de Matipó, em Minas Gerais, Paulo Henrique Fraga Gardingo (PMDB-MG), apresentou uma carta ao presidente da Câmara Municipal renunciando ao cargo que deveria ocupar até dezembro deste ano. No documento ele teria dito que o seu desligamento se deu em virtude de alguns assuntos pessoais.

Mas segundo ele, em uma entrevista ao Brazilian Times, ele afirmou que o motivo real de seu afastamento foi devido algumas ameaças que sofreu por estar denunciando irregularidades na própria Casa de leis. "Depois que protocolei na Justiça um documento relatando o desvio de dinheiros que estava acontecendo, comecei a ser perseguido", fala explicando que por este motivo decidiu sair do Brasil.

PH, como é mais conhecido, fala que a princípio iria para a Itália por ter descendência italiana, mas acabou optando pelos Estados Unidos porque sua mãe já morou no país e tem muitos amigos e contatos. Assim que chegou, ele foi morar na cidade de Everett, em Massachusetts.

Mas para sua surpresa, as ameaças não pararam e na semana passada, nos dias 9 e 11, novamente foi alvo de perseguição. Ele, que já registrou o caso no Departamento de Polícia da cidade, acredita que as ameaças sofridas em território norte-americano não têm vínculo com o que aconteceu no Brasil.

Segundo o ex-vereador, algumas pessoas foram à casa onde ele morava e avisaram à dona da casa que os dias dele estavam contados. “Isso aconteceu na segunda-feira (09), e na quarta eles retornaram e como não me encontraram novamente, riscaram o carro e rasgaram os pneus”, fala ressaltando que um dos ameaçadores deixou escapar que se tratava de traição conjugal. “Ele disse que eu teria ficado com a mulher de alguém. Isso é mentira, pois não tenho namorada e nunca fiquei com ninguém desde que cheguei”, acrescenta.

As ameaças fizeram o ex-vereador mudar de residência para a sua segurança. Ele prefere não citar a cidade em que está morando, pois teme sofrer nova perseguição. “Vou deixar tudo nas mãos da polícia e tenho certeza de que os investigadores encontrão os culpados”, fala.

Fonte: (DA REDAÇÃO)