Publicado em 20/04/2012 as 12:00am

Brasileiro é condenado por ajudar falsificar vistos

Brasileiro é condenado por ajudar falsificar vistos

O brasileiro Márcio Freitas foi condenado por envolvimento na falsificação de vistos para trazer outros compatriotas para os Estados Unidos. A Corte do Distrito de Worcester, em Massachusetts, o sentenciou a um ano e um dia de prisão.

O juiz Distrital, Dennis F. Saylor aceitou a acusação contra o brasileiro e a condenação foi divulgada na quarta-feira (18) e ele assumiu a culpa por duas acusações de incentivar um imigrante indocumentado a viajar para os Estados Unidos e permanecer ilegal no país.

Os promotores alegaram, ainda, que Márcio cobrava $10 mil para ajudar os seus clientes a obterem os vistos de trabalho temporário. Estima-se que ele tenha conseguido colocar dentro dos EUA, 46 pessoas para trabalhar em uma companhia de paisagismo.

Entre 2003 e 2007, a Hester Landscape and Tree de Northboro foi responsável por dezenas de aplicações para obtenção de vistos temporários para trabalhadores vindo do Brasil. Estes Vistos, normalmente, tem validade de 10 meses. Somente no Consulado norte-americano em São Paulo, 94 pessoas foram entrevistas para conseguir a autorização de trabalho através da empresa.

Pelo menos 42 ainda permanecem no país, após a expiração do visto e 34 jamais chegaram a trabalhar na empresa. Durante o julgamento, a parte de acusação deixou claro que o tempo de vida de Márcio nos EUA teria chegado ao fim.

O advogado de defesa afirma que o brasileiro apenas estava tentando ajudar as pessoas. Além da condenação, o status legal do brasileiro poderá ser tirado. “Ele é casado, pai de três crianças e sua família está sofrendo com esta acusação”, fala ressaltando que o brasileiro apenas queria ajudar e não criar um esquema para ganhar dinheiro.

Fonte: (da redação)