Publicado em 15/10/2014 as 12:00am

Noiva de governador casou com indocumentado por dinheiro

Na quinta-feira (9), a noiva do governador de Oregon, John Kitzhaber, admitiu que já se casou com um imigrante que buscava a residência nos Estados Unidos.

Na quinta-feira (9), a noiva do governador de Oregon, John Kitzhaber, admitiu que já se casou com um imigrante que buscava a residência nos Estados Unidos. Cylvia Hayes disse durante uma entrevista que ela calcula ter recebido aproximadamente US$ 5 mil para o casamento ocorrido em 1997. Ela alegou que “saía com as pessoas erradas”, enquanto lutava para pagar as mensalidades da universidade.

“Era errada na época e ainda é errado atualmente e estou aqui hoje para aceitar as consequências, algumas das quais mudarão vidas”, disse Hayes.

Ela disse estar “envergonhada e humilhada” e não havia contado ao governador sobre o casamento até que um repórter do jornal Willamette Week começou a fazer perguntas essa semana. Cylvia enfrentou os repórteres em um pódio no interior de um prédio no centro de Portland, alegando ter pedido a Kitzhaber para não comparecer, pois não podia vê-lo sem chorar. Ela disse que, quando contou ao noivo sobre o casamento por dinheiro, “ele ficou surpreso e magoado”, pausando para lutar contra as lágrimas. “Eu serei eternamente grata pela forma bonita e amorosa que ele tem me apoiado nisso”.

Hayes ser desculpou a Kitzhaber, seus amigos e família e a todos os residentes em Oregon, dizendo se arrepender profundamente não ter revelado o “grande erro”. O casal confirmou o noivado em agosto desse ano.

Ela havia se divorciado duas vezes e, pouco antes de completar 30 anos, casou-se com um imigrante etíope. Cylvia era estudante no Evergreen State College em Olympia, Washington, e detalhou que foi apresentada ao jovem por amigos em comum. Ela detalhou que eles nunca viveram juntos, se encontraram poucas vezes e não tiveram mais contato desde que o divórcio foi finalizado em 2002.

“Foi um casamento por conveniência”, disse Hayes. “Ele precisava de ajuda e eu de apoio financeiro”.

Fraude no casamento é um crime federal, segundo o Departamento de Imigração (ICE), embora ele prescreva em 5 anos. Aqueles acusados de fraude no casamento também podem enfrentar outras acusações, como fraude de vistos ou declarações falsas.

Na quinta-feira (9), Cylvia disse que havia contratado um advogado para ajuda-la nas possíveis consequências legais. Ela, de 47 anos, discutiu abertamente sua difícil infância em Washington e sua dificuldade em se manter financeiramente desde a escola secundária.

Fonte: Da Redação

Top News