Publicado em 17/11/2014 as 12:00am

Juiz autoriza uso da mídia para encontrar vítimas da Telexfree

O juiz federal, David H. Hennessy's, concedeu o pedido para que o Governo possa emitir comunicados de imprensa sobre o caso criminal contra o proprietário da Telexfree

O juiz federal, David H. Hennessy's, concedeu o pedido para que o Governo possa emitir comunicados de imprensa sobre o caso criminal contra o proprietário da Telexfree, James Merrill e seu sócio, o brasileiro Carlos Wanzeler. A autorização foi concedida na sexta-feira (14).

O Departamento de Justiça havia solicitado o direito de produzir press releases e avisos de mídia sobre o caso. O objetivo era proporcionar um meio para entrar em contato direto com cerca de 800 mil vítimas da empresa que tinha sede em Marlbrough (Massachusetts). O Governo também foi autorizado a criar um site informativo, fornecer um número de telefone, um e-mail e assistência gratuita às vítimas.

Merril, que acusado de vários crimes de fraude eletrônica e conspiração para cometer fraude eletrônica, argumento que se o caso for para a mídia, com detalhes, pode influenciar o júri que será escolhido para julgar o caso.

O Departamento de Justiça vai alertar as supostas vítimas de Telexfree, através dos meios de comunicação, mas "devem evitar recitar alegações contidas nos autos, exceto o que for necessário para cumprir as obrigações da notificação", disse o juiz.

A decisão da Hennessy cuida de uma das duas principais questões pendentes no processo criminal contra Merrill. O outro - o pedido do Merrill para o governo liberar 4 milhões dólares de seus fundos congelados para que ele possa cobrir seus custos de defesa - deve ser determinado em uma audiência no dia 9 de dezembro. Os promotores se opuseram, argumentando Merrill ainda tem de provar que o dinheiro não é fruto da Telexfree.

A empresa está envolvida em uma queixa civil movida pela Comissão de Valores Mobiliários. Nesse caso foi colocado em espera até que os processos penais que envolvem Merrill e o sócio Wanzeler sejam concluídos.

Fonte: Da Redação