Publicado em 24/11/2014 as 12:00am

Brasileiros tentam desvendar morte da filha nos EUA

Inquérito que apurou a morte da jovem apontou que ela cometeu suicídio, mas pais discordam da conclusão

Os pais de Jhessica Freitas, João Vieira da Silva e Cristiana Freitas Almeida da Silva, continuam inconformados com a morte da filha que aconteceu em 2012. A jovem, de 20 anos, havia conseguido uma vaga para cursar uma universidade nos Estados Unidos e morava em uma casa de uma família americana em New York.

De acordo com a família, ela falava diariamente com seus familiares no Brasil, e jamais demonstrou qualquer tipo de descontentamento.

Com a conclusão de que a jovem se suicidou se enforcando com um cinto, a Justiça americana arquivou o inquérito que apurava o caso. Os pais discordaram da conclusão e buscaram auxílio do Ministério das Relações Exteriores, mas afirmam que não tiveram apoio suficiente. 

Após pagar por conta própria uma análise da morte da jovem, a família acredita que ela pode ter sido assassinada, já que foi encontrado em seu corpo sinais de um forte sedativo. 

De acordo com uma amiga da jovem, que preferiu não se identificar, ela reclamava apenas do dono da casa onde vivia, nos Estados Unidos. O homem era também o patrão da estudante morta. Foi ele quem chamou a polícia dizendo ter encontrado o corpo da jovem. 

Fonte: Da Redação