Publicado em 30/03/2015 as 12:00am

Brasileiro é acusado de "roubar" computadores e fugir

Segundo a denúncia, o profissional, identificado por Leandro Oliveira, pegou o equipamento sobre promessa de consertá-lo.

Natural de Jauru (Mato Grosso), Wanderson Adriano Gomes, que mora em Massachusetts, usou as redes sociais para denunciar um suposto golpe que teria sofrido por parte de um profissional da computação. Segundo ele, que utilizou o Bazar Boston Novo, deixou um computador para que um técnico fizesse a manutenção. “Mas ele desapareceu e a notícia que tenho é que está no Brasil”, fala.

Segundo a denúncia, o profissional, identificado por Leandro Oliveira, pegou o equipamento sobre promessa de consertá-lo. Mas depois não atendeu as ligações de Wanderson e não foi mais encontrado. Pelo que as pessoas comentaram na publicação, este é um problema comum, “pois muitas pessoas que aprendem corrigir alguns defeitos de um computador, se tornam técnicos”.

O mineiro de Governador Valadares que mora em Malden (Massachusetts) Sanderson Li, afirmou que o problema é que “aventureiros fazem um curso, aprendem a fazer um cartão de visitas e sai desmontando tudo, sem eira nem beira. Um mês (quatro dias por mês, mais precisamente) de curso teórico e já viram técnicos, e não sabem a diferença entre windows, MAC e Linux”.

Todas as pessoas concordaram a opinião dele, pois “às vezes gastar um pouco mais com profissionais que tenham referência, pode ser mais vantajoso”. Outra preocupação apontada por Sanderson é que quando uma pessoa deixa um computador com fotos e vídeos pessoais, isso pode vazar na internet e se tornar um problema maior. “Procurem um lugar especializado e sério, pois isso vale a pena”, aconselha.

Wanderson disse que foi ao endereço que está no cartão de visitas do técnico, mas foi informado de que Leandro não mora neste local. Bruna Valente, uma carioca que mora em Revere (Massachusetts) disse entrou no site descrito no cartão e encontrou um telefone e ao ligar, o próprio Leandro atendeu. “Eu disse que queria consertar o meu computador, mas ele disse que foi embora para o Brasil”, afirmou.

Acredita-se que ele tenha aplicado o mesmo golpe a outras pessoas. O Brazilian Times tentou contato com Leandro, mas não conseguiu em nenhum dos telefones descritos no site e no cartão.

Fonte: Da Redação