Publicado em 15/04/2015 as 12:00am

Brasileiro é acusado de masturbar cachorro em Ashland (MA)

O brasileiro Paulo N. Silva, 51 anos de idade, foi preso na quinta-feira (09) depois de ser pego realizando um ato sexual com um cão.

O brasileiro Paulo N. Silva, 51 anos de idade, foi preso na quinta-feira (09) depois de ser pego realizando um ato sexual com um cão. O suposto crime teria acontecido na cidade de Ashland (Massachusetts), segundo as informações das autoridades.

O advogado do brasileiro, Christopher Post afirmou que seu cliente não praticou o crime e que será julgado apenas por furto e “não pelas bestialidades que teria cometido contra o animal”. Ele afirmou que vai provar que Paulo não praticou ato sexual e sim estava furtando o esperma do cachorro. “Isso porque o acusado não teve prazeres sexuais”, disse.

A juíza Jennifer Stark negou o pedido do advogado.

Paulo foi preso no início da noite de quinta-feira, depois que o proprietário de um Pit Bull disse chegou a sua casa e viu o acusado “masturbando o seu cão” para coletar espermas. Silva é um empreiteiro que fez alguns trabalhos na casa do proprietário do animal, no ano passado.

Segundo o homem, Paulo cresceu junto com o animal e ia à casa dele periodicamente para brincar com o cão. “Ele também me perguntou várias vezes se eu estaria disposto a cruzar o meu cachorro uma fêmea Pit Bull de um amigo dele”, afirmou. “Mas eu sempre disse não”, continuou.

Na quinta-feira, segundo o relatório policial, o acusado disse ao dono do Pit Bull que a cadela estava no cio e se não havia possibilidades do cruzamento. “Novamente o proprietário disse não e negou o pedido do brasileiro em ir à sua casa brincar com o animal”, relatou o boletim.

Quando ele chegou á sua casa, encontrou Paulo, na garagem, manipulando o pênis do cachorro. Ao ser questionado pela polícia, o acusado admitiu que queria cruzar o Pit Bull com a cachorra de seu amigo. Mas ele afirmou que estava apenas brincando com o animal e não o tocou de forma inadequada.

Paulo foi acusado por invasão, arrombamento e cometer bestialidade com um animal. A juíza não estipulou fiança, mas determinou que o acusado não se aproxime do cachorro ou de seu proprietário. Ele deverá retornar ao tribunal no dia 1º de junho para uma conferência de prejulgamento.

Silva deve voltar ao tribunal no dia 1 de Junho para uma conferência prejulgamento.

Fonte: Da Redação